Vacinas da gripe e da Covid-19 podem ser aplicadas no mesmo dia, diz Ministério da Saúde

Orientação está em nota técnica publicada na quarta-feira, dia 29

Vacinas da gripe e da Covid-19 podem ser aplicadas no mesmo dia, diz Ministério da Saúde

Foto: DIVULGAÇÃO - Ministério da Saúde autorizou vacinação simultânea dos dois imunizantes

Da Reportagem Local
Publicado em 02/10/2021

As duas maiores campanhas de vacinação em andamento no país poderão ser realizadas de forma simultânea. Em uma nova recomendação, o Ministério da Saúde autorizou que as vacinas da Covid-19 e da gripe possam ser aplicadas no mesmo dia. Antes, a orientação era que houvesse um intervalo mínimo de 14 dias entre as imunizações.

A recomendação para a imunização da população em todo o país consta em nota técnica publicada na quarta-feira, 29. A eliminação do intervalo para aplicação dos dois imunizantes foi recomendada na sexta-feira, 24, pela Câmara Técnica Assessora de Imunização Covid-19 (CTAI-Covid).

Segundo o ministro da Saúde substituto, Rodrigo Cruz, após orientação da Pasta, os brasileiros que forem até os postos de vacinação para tomar a primeira, segunda ou dose de reforço contra a Covid-19 poderão também receber as demais vacinas do calendário vacinal, o que inclui a vacina da gripe. Com mais de 62,9 milhões de doses aplicadas, a cobertura vacinal da Campanha de Vacinação contra a Influenza está em 67,9%, em relação aos grupos prioritários.

“Houve uma recomendação para eliminar o prazo da aplicação das doses dos dois imunizantes. Essa recomendação já está sendo analisada pelo Ministério e, muito provável que, ainda esta semana a gente tenha uma Nota Técnica para tratar sobre esse tema”, contou Cruz.

Para Rodrigo Cruz, a medida incentivará o cidadão a se proteger contra as doenças e ressaltou que a adesão às duas campanhas é importante para a população e para todo o Brasil.

“A orientação é para todas as faixas etárias. A gente observa que, por conta da pandemia, há um comportamento diferente do que se via praticando ao longo dos anos. Um ou outro imunizante acabou tido, pontualmente, uma redução na cobertura vacinal. Mas o incentivo do Ministério é que todos procurem os postos de saúde para que continuem a imunização das campanhas regulares”, ressaltou.

A decisão para redução do intervalo foi recomendada pela CTAI-Covid considerando a necessidade de minimizar perdas de oportunidade para a vacinação. Além disso, oferecer, em uma única visita aos postos, vacinas para conferir proteção a múltiplos agentes infecciosos.

Segundo o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, a administração simultânea de diferentes vacinas já é prática corriqueira no Programa Nacional de Imunizações (PNI) com outras vacinas, sendo uma estratégia segura e efetiva.

“A recomendação inicial para se manter um intervalo entre as diferentes vacinas foi uma medida de precaução, considerando ainda a necessidade de monitorar eventos adversos pós vacinação contra Covid-19 no momento em que as vacinas foram introduzidas no país. Agora, após amplo uso na população e com o perfil de segurança das vacinas Covid-19 já bem descrito, é possível adotar o intervalo reduzido. Espera-se que a medida promova ganhos importantes de saúde pública ao melhorar as coberturas vacinais no país”, pontuou.