UTI do Hospital Emílio Carlos participa do projeto ‘Saúde em Nossas Mãos’

Ações de melhoria têm como tutor o HCOR/Hospital do Coração

UTI do Hospital Emílio Carlos participa do projeto ‘Saúde em Nossas Mãos’

Foto: Comunicação/FPA - Hospital Emílio Carlos participará de programa nacional com foco nas UTIs

Da Reportagem Local

Depois da UTI do Hospital Padre Albino, que teve como tutor o Hospital Albert Einstein, a UTI do Hospital Emílio Carlos foi incluída no projeto 'Saúde em Nossas Mãos - Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil' e terá como tutor o HCOR/Hospital do Coração. A iniciativa será implantada no Emílio Carlos com a participação das equipes multidisciplinares da UTI.

As Unidades de Terapia Intensiva são locais destinados a pacientes que necessitam de cuidados intensivos, onde processos e dispositivos complexos são frequentemente necessários para a manutenção da vida. Alguns desses dispositivos podem aumentar a chance de infecções que causam sofrimento ao paciente, implicar no uso de antibióticos ou aumentar o tempo de internação e o custo do atendimento.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), as infecções hospitalares afetam 14 em cada 100 pacientes admitidos nos hospitais. De cada 100 pacientes hospitalizados em determinado momento, 10 ficam expostos a infecções associadas a cuidados de saúde nos países em desenvolvimento.

No Brasil, o cenário da ocorrência de eventos adversos não é diferente. Nesse contexto, o Ministério da Saúde instituiu o Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP), que tem como objetivo geral contribuir para a qualificação do cuidado em todos os estabelecimentos de saúde do território nacional, públicos e privados. A iniciativa visa somar esforços aos programas nacionais existentes e ao trabalho executado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e vigilâncias sanitárias locais.  

O Projeto Saúde em Nossas Mãos tem como objetivo a implementação de práticas das diretrizes de prevenção de infecções relacionadas à ventilação mecânica, uso de cateteres e de sondas vesicais em 204 UTIs das cinco regiões do Brasil.

Os cinco hospitais Proadi-SUS (Programa de Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde) do Brasil são Hospital Moinhos de Vento (RS), Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Hospital do Coração, Hospital Israelita Albert Einstein e Hospital Sírio Libanês, os quatro últimos de São Paulo. Eles trabalham de forma colaborativa para a execução do projeto, utilizando métodos de melhoria contínua com o apoio técnico do Institute for Healthcare Improvement (IHI).  

Cada grupo de 34 hospitais será acompanhado por profissionais dos Hospitais Proadi-SUS e pelo Ministério da Saúde, sendo ambos responsáveis pela condução das sessões virtuais de treinamento, assim como pelo suporte contínuo e visitas. Além disso, há apoio contínuo à distância e sessões de aprendizagem virtual (SAV).

As ações necessárias para alcançar os resultados esperados também incluem o monitoramento de indicadores e dos testes de mudança, além de estratégias de desenvolvimento de equipes colaborativas, de envolvimento de pacientes e familiares nos processos, e desenvolvimento de lideranças para implantação de segurança do paciente nas instituições.