Psicóloga fala sobre a importância do Janeiro Branco

Campanha foi criada por psicólogos mineiros e incentiva as pessoas a mudarem suas vidas

Psicóloga fala sobre a importância do Janeiro Branco

Foto: ARQUIVO PESSOAL - Psicóloga Roberta D`Avanzo Sant`Ana explica o significado da campanha

Myllaynne Lima
Da Reportagem Local
Publicado em 05/01/2022

A campanha Janeiro Branco é realizada desde 2014 e tem como objetivo discutir a relevância da saúde mental e do cuidado com as emoções. A ação foi criada por psicólogos de Uberlândia/MG e busca incentivar as pessoas a mudarem suas vidas e buscarem o que as faz felizes.

Em entrevista ao Jornal O Regional, a psicóloga Roberta D`Avanzo Sant`Ana explica o significado da campanha, a diferença entre saúde mental e emocional e alerta sobre como podemos identificar que estamos precisando de ajuda.

“A campanha Janeiro Branco, criada para promover, disseminar, trazer conhecimento sobre a importância da saúde mental, certamente foi o grande destaque nos tempos de pandemia, em que manter a saúde mental, em alguns casos, foi aspecto fundamental para passarmos por todas as situações, atípicas que a pandemia nos trouxe”, comenta a profissional.

De acordo com a OMS, o Brasil é considerado o país mais ansioso do mundo e o quinto mais depressivo. “A pandemia, o distanciamento físico, o 'home office' - modelo de trabalho em casa, alunos sem as aulas presenciais, uma série de fatores que causou mudanças na rotina da população, também despertou o olhar para os cuidados com nossa saúde mental, ressaltando a importância no processo de conscientização sobre as doenças psicológicas, pois foi um cenário desafiador, com ingredientes propícios para o sofrimento psicológico”.

Segundo Roberta, a campanha evidencia a importância da disseminação e construção de uma “cultura da Saúde Mental” que estimule a elaboração de políticas públicas em benefício da população, um meio de chamar atenção das mídias a promoverem o assunto. Quanto mais informações, diz ela, mais a população poderá promover a saúde mental em si própria.

“Todo início de ano traçamos metas, refletimos sobre nossa vida, o que passamos, nossos sonhos, desejos e ideais. Pensando em todo esse contexto, o mês de janeiro foi escolhido para representar a saúde mental, explorando toda essa simbologia do mês, assim foi criada a campanha Janeiro Branco, com representação de um novo início, um novo recomeço, com a cor branca no qual podemos escrever, desenhar uma nova história da saúde mental, sem preconceitos”, salienta a especialista.

Ela relembra, ainda, que o intuito da campanha é justamente quebrar paradigmas com a promoção de debates sobre tabus e preconceitos. “Quando falamos de saúde mental, fomentamos uma cultura voltada à prevenção e que contribua com a promoção do autocuidado, pois saúde mental não significa doença mental, a saúde mental implica muito mais que a ausência de doenças mentais. Essa campanha vem com foco total em trazer informações, conhecimento para que a população entenda a importância dos cuidados com a saúde mental.”

DIFERENÇAS

Segundo Roberta D`Avanzo, há diferença entre saúde mental e emocional. “A saúde mental e emocional estão interligadas, mas abordam questão distintas”, garante. A OMS define a saúde mental como “um estado de bem-estar em que o indivíduo percebe suas próprias habilidades, pode lidar com o estresse normal da vida, pode trabalhar de maneira produtiva e produtiva e é capaz de fazer uma contribuição para sua comunidade”.

“Podemos entender que a saúde mental se refere a um estado de equilíbrio que o indivíduo atinge, diz respeito a transtornos e sintomas desencadeados por reações químicas, consiste em descompensações fisiológicas e neurológicas, com a necessidade de um diagnóstico, caso necessário, tratamento adequado por profissionais da saúde, psicólogos e psiquiatras”, explica a psicóloga.

E prossegue: “A saúde emocional influencia diretamente no comportamento humano, podendo oscilar entre polos opostos, como vontade excessiva de rir ou chorar, felicidade e tristeza, é a forma de compreendermos nossas emoções, de sabermos lidar com sentimentos e nos equilibramos de forma satisfatória para um bem-estar. Entender as características emocionais e mentais é de suma importância, pois assim podemos nos prevenir de doenças e comportamentos que podem vir nos afetar psicologicamente, trazendo danos a nossa saúde mental e emocional e ocasionando sofrimento e má qualidade de vida.”

PROCURE AJUDA

Roberta orienta sobre como identificar que é preciso procurar ajuda. “Entendemos que uma pessoa mentalmente saudável é capaz de compreender que não somos perfeitos e que possuímos, sim, algumas dificuldades em certos momentos de nossa vida, porém temos que obter um equilíbrio, saber lidar com nossos conflitos, emoções, traumas ou até mesmos transições. A saúde mental interfere em todos esses aspectos, de como estamos lidando com nossas dificuldades, como estamos reagindo com que acontece em nossa vida. A saúde mental vem com intuito de estar bem consigo mesmo, caso identificarmos que não estamos conseguindo lidar com aspectos cotidianos de nossa vida, temos que reconhecer nossos limites e buscar ajuda quando necessário, analisarmos nossa mudança de comportamento, sintomas recorrentes, que permanecem no dia a dia, como tristeza, vontade repentina de chorar, sono, ansiedade, excesso ou diminuição na alimentação, aspectos que vão implicando em prejuízos das atividades diárias. Caso isso venha ocorrer, podemos identificar a hora de pararmos e ir à procura de um profissional, a psicoterapia é uma grande aliada, procure um profissional de psicologia, ao menos para uma avaliação, pois quem cuida da mente, cuida da vida.”