Núcleo de Apoio Psicopedagógico da Unifipa promove 'Ação de Valorização da Vida'

Iniciativa compõe atividades relacionadas à campanha Setembro Amarelo

Núcleo de Apoio Psicopedagógico da Unifipa promove 'Ação de Valorização da Vida'

Foto: Comunicação / FPA - Árvores foram decoradas com bilhetes, notas e recados de apoio

Da Reportagem Local

Com início na segunda-feira, 20, e término amanhã, dia 24, o Núcleo de Apoio Psicopedagógico (NAP) do Centro Universitário Padre Albino/Unifipa está realizando a campanha 'Ação de Valorização da Vida - Setembro Amarelo'. A atividade se resume em decorar árvores nas entradas do centro universitário com bilhetes, notas e recados de apoio e valorização à vida.

Segundo a professora Adriana Tonon, “o objetivo da campanha é conscientizar sobre a prevenção do suicídio e dar visibilidade à causa na comunidade acadêmica, além de incentivar os estudantes e funcionários sobre a importância da valorização da vida”.

De acordo com Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), cerca de 800 mil indivíduos tiram a própria vida todos os anos. Neste sentido, cuidar, prevenir e agir para o equilíbrio da saúde mental, evitando emoções negativas como ansiedade ou descontrole, bem como doenças como depressão, é fundamental para valorizar a vida. 

“Os índices crescentes de suicídios nas últimas décadas alertam sobre a importância de falar sobre o assunto. Existe um tabu muito grande acerca do tema, mas o colocar em pauta na sociedade é fator importante para evitar a perda de outras vidas. Ao longo dos últimos anos, escolas, universidades, entidades do setor público e privado e a população de forma geral se envolveram nesse movimento”, completa a professora. 

Todos os alunos e colaboradores estão convidados a retirar um papelzinho – que pode ser encontrado nas entradas da Unifipa, ou na secretaria acadêmica –, escrever sua mensagem e amarrar nas árvores decoradas.

No mês de prevenção ao suicídio, mensagens como “Você não está sozinho!”, “Sua dor pode ser superada!” e “Juntos somos mais fortes” podem servir como alento e esperança a quem mais precisa.