Moradora do Solo Sagrado critica falta de medicamentos no postinho e ruas escuras

Ela diz viver com apenas R$ 550 e pede auxílio de uma cesta básica mensal

Moradora do Solo Sagrado critica falta de medicamentos no postinho e ruas escuras

Foto: DIVULGAÇÃO - Falta de medicamentos na Unidade de Saúde seria recorrente

Da Reportagem Local
Publicada em 24/10/2021

Diabética e hipertensa, Sebastiana Soares de Oliveira dos Reis, moradora do Solo Sagrado, vem enfrentando dificuldades para conseguir insulina e o medicamento losartana na unidade de saúde do bairro. Ela afirma que é orientada a procurar por farmácias particulares e que outros vizinhos vivem o mesmo drama e acabam dividindo as caixas que conseguem comprar.

A aposentada diz sobreviver com R$ 550 e mais a renda conseguida na roça pelo marido e reivindica uma cesta básica como auxílio. A situação está ainda mais grave diante da necessidade de uma cirurgia, que está agendada para janeiro no AME, que a obrigaria a ficar 30 dias de repouso – ela diz que não comparecerá à cirurgia, “pois precisa sobreviver”.

Entre as críticas à Prefeitura, ela também cita a falta de iluminação na via em que reside, na avenida Francisco Puzzo. Segundo ela, são várias lâmpadas queimadas em todas as quadras.

A reportagem do Jornal O Regional encaminhou todas as reclamações à Prefeitura e recebeu em resposta apenas a afirmação de que os medicamentos indicados não estão em falta.