Instituto alerta para a importância da educação alimentar no combate à obesidade infantil

Comportamento saudável pode evitar surgimento de doenças crônicas

Instituto alerta para a importância da educação alimentar no combate à obesidade infantil

Foto: DIVULGAÇÃO - Gestora do Instituto Opy diz que fatores comportamentais estão associados ao que é oferecido às crianças

Da Reportagem Local
Publicada em 25/09/2021

Os números são alarmantes. Dados do Sistema Único de Saúde (SUS) revelam que 13,2% das crianças entre 5 e 9 anos são afetadas pela obesidade infantil. Com isso, estima-se que 6,4 milhões de crianças tenham excesso de peso no Brasil e 3,1 milhões já evoluíram para obesidade. Os dados são de 2019, baseados no Índice de Massa Corporal (IMC) de crianças que são atendidas na Atenção Primária à Saúde (SAPS).

O Instituto Opy de Sáude, braço filantrópico da Opy Health, pontua a importância da educação alimentar para que Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT'S) como diabetes, acidente vascular cerebral, infarto, câncer, doenças respiratórias crônicas ou hipertensão arterial não afetem as pessoas ao longo da vida.

Hoje, no Brasil, 74% de mortes ocorrem por Doenças Crônicas Não Transmissíveis e 17% delas são prematuras e poderiam ser evitadas.

A diretora-presidente Flávia Antunes alerta que os fatores comportamentais estão associados ao que é oferecido às crianças, influenciando negativamente o desenvolvimento alimentar.

"20% dos nossos genes são influenciados por questões hereditárias e todo o resto por fatores externos como alimentação, amamentação, medicamentos, quantidade de infecções, e prática de exercícios", explica Flávia. "Uma dieta rica em alimentos saudáveis faz com que a obesidade infantil e doenças associadas sejam evitadas", completa.

Com um mês de vida, o Instituto Opy de Saúde já mostra seu compromisso com o tema, apoiando o Projeto Experiências que alimentam do Centro de Recuperação e Educação Nutricional (CREN). O projeto tem objetivo de ampliar e difundir as ações de Educação Alimentar e Nutricional (EAN) em ambiente escolar de Primeiríssima Infância (zero a quarenta e oito meses), localizados em São Miguel Paulista.

As ações do projeto buscam a promoção da saúde e prevenção de desvios nutricionais, além de desenvolver formação de educadores e recursos pedagógicos nos equipamentos de educação infantil. Serão envolvidos os profissionais dos Centros de Educação Infantil (CEI) e as famílias das crianças que frequentam esses Centros.

“O CREN tem um impacto grande na vida e saúde das crianças e famílias alcançadas. Esse trabalho de recuperação nutricional e educação é algo que deve ser replicado para mais regiões e até outros estados, e estamos orgulhosos de fazer parte dessa história”, reforça a diretora-presidente, que lembra sobre a importância de manter uma alimentação saudável para assegurar uma boa saúde, especialmente nos primeiros 1000 dias de uma criança, período decisivo para o desenvolvimento a longo prazo.

"O período dos primeiros 1000 dias de vida é conhecido como o 'intervalo de ouro', quando se formam e se programam as células do corpo, determinando a curto e a longo prazo a saúde e o bem-estar até a vida adulta”, conclui.