Infestação do Aedes piora de julho para outubro e Catanduva fica em estado de alerta

Índice subiu de 1,3% para 2,6% na nova amostragem levantada pela EMCAa

Infestação do Aedes piora de julho para outubro e Catanduva fica em estado de alerta

Foto: PREFEITURA DE CATANDUVA - Agentes percorreram 6.392 imóveis, dos quais 2.994 estavam abertos para visita

Da Reportagem Local
Publicado em 11/11/2021

A Secretaria Municipal de Saúde, através da Equipe de Combate ao Aedes aegypti (EMCAa), concluiu o trabalho de Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (Lira) do mês de outubro. Foi registrado índice geral de 2,6% de infestação de larvas do mosquito, acima do limite máximo permitido pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que é de 1%.

A amostragem coloca o município em Estado de Alerta. Os agentes de endemias percorreram 6.392 imóveis, dos quais 2.994 estavam abertos para visita e 3.398 fechados no momento da inspeção. Em relação à última amostragem, realizada em julho de 2021, a taxa de encontro larvário aumentou de forma significativa; naquele mês, o índice foi de 1,3%.

Durante a avaliação, as regiões mais afetadas foram a Área 1 (4,59%) e Área 5 (2,58%), na sequência estão as áreas 4 (2,50%), 3 (1,99) e ao final da 2 (1,50%).

De acordo com a EMCAa, os principais criadouros identificados são ralos internos e externos, bebedouros de consumo animal, vasos de planta, pneus, lonas, plásticos e materiais inservíveis.

O setor pede a colaboração da população no recebimento dos agentes visitadores devido ao alto índice de residências fechadas e, principalmente, à temporada de chuvas que são registradas até o mês de março do próximo ano.

“O morador deve redobrar ações de retirada e controle de locais que acumulam água, além de possibilitar a entrada dos agentes de endemias e comunitários”, frisa.

Os bairros com maior quantidade de larvas encontradas foram o Centro, Jardim Bela Vista, Higienópolis, São Francisco, Parque Iracema, Conj. Hab. Orlando Facci e Aeroporto.

A EMCAa fará uso dos dados auferidos para nortear as próximas ações de combate e controle do vetor, deixando disponível o Disk Dengue, no telefone 3531-9200, para agendamentos e denúncias.