Fisioterapia pode auxiliar no tratamento de pacientes da Covid-19, inclusive na UTI

Profissionais têm sido fundamentais no atendimento das pessoas infectadas

Fisioterapia pode auxiliar no tratamento de pacientes da Covid-19, inclusive na UTI

Foto: Divulgação - A fisioterapeuta Silvia Regina Arruda Céspedes ressalta a importância da atuação dos profissionais de sua área durante a pandemia

Myllaynne Lima
Da Reportagem Local

A Covid-19 é uma infecção respiratória aguda causada pelo coronavírus SARS-CoV-2, potencialmente grave, de elevada transmissibilidade e de distribuição global.

O SARS-CoV-2 é um betacoronavírus descoberto em amostras de lavado broncoalveolar obtidas de pacientes com pneumonia de causa desconhecida na cidade de Wuhan, província de Hubei, China, em dezembro de 2019. Pertence ao subgênero Sarbecovírus da família Coronaviridae e é o sétimo coronavírus conhecido a infectar seres humanos.

Grande parte dos pacientes infectados apresentam sintomas leves ou até mesmo não os desenvolvem. Uma parcela menor de pacientes evolui para um estágio mais grave, necessitando de hospitalização e, em alguns casos, de ventilação mecânica.

“O coronavírus se comporta de diferentes maneiras e traz diversas reações no corpo de cada pessoa. Dessa forma, é frequente o relato de pessoas que conseguem se curar do vírus, mas que persistem com alguns sintomas por um período. Dentre os mais comuns temos perda de olfato e paladar, fadiga e diminuição da concentração. Cansaço e/ou fraqueza muscular e dificuldades respiratórias na hora de dormir são mais comuns em indivíduos que apresentaram a doença de forma mais amena", explica a fisioterapeuta Silvia Regina Arruda Céspedes

Ela frisa que "quanto maior o grau da doença, alguns sintomas podem manifestar-se também. Por exemplo, condições respiratórias como tosse, falta de ar, inflamação pulmonar, fibrose pulmonar ou nos rins, síndrome inflamatória sistêmica. Faz-se necessário também citar que a Organização Mundial da Saúde lembra das consequências para os que tiveram problemas cardiovasculares durante a doença – embolias, convulsões e acidente vascular cerebral, o AVC”.

Para o cuidado com todas essas sequelas, é importante o retorno constante em exames de rotina para checar as reações do vírus no corpo. “Muitas devem ser tratadas por meio de um fisioterapeuta – o cuidado do profissional no tratamento pós-Covid vai muito além de exercícios respiratórios, contando igualmente com eletroterapia, amplitude de movimento e outros procedimentos discutidos ao longo das próximas questões”, completa.

A fisioterapia tem desempenhado papel fundamental no tratamento de pacientes com Covid-19, principalmente para os internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

“O profissional de fisioterapia tem papel fundamental. Sua atuação tem foco nas complicações cardiorrespiratórias e a recuperação da capacidade motora. Minha experiência é bastante voltada ao tratamento desses pacientes, por isso, trabalho tanto com pessoas que saíram da UTI, com sequelas mais graves – neurológicas e respiratórias – quanto os com sequelas mais leves. Em ambos os casos, a fisioterapia é indispensável e primordial para a recuperação”, diz.

Durante a estadia na UTI, muitas pessoas desenvolvem fraquezas musculares pela falta de mobilidade e da alimentação controlada. Assim, após a alta, a fisioterapia motora ajuda na melhora da capacidade funcional e na prevenção de fraturas, deformidades ou encurtamentos musculares.

“Busco melhorar a musculatura de meus pacientes utilizando pesos, thera band e outros instrumentos. Também, a fisioterapia respiratória é decisiva para a melhora completa do paciente. Os exercícios que instruo auxiliam na suplementação de oxigênio, dispneia e melhora na força muscular inspiratória e expiratória, para que aconteça a maior tolerância ao recondicionamento respiratório e, consequentemente, físico. Com o auxílio do Respiron e outros aparelhos podemos aumentar o volume respiratório e a expansão pulmonar”, destaca.

Silvia ressalta a importância da atuação do fisioterapeuta em várias frentes. “Os fisioterapeutas podem atuar na linha de frente do enfrentamento da pandemia para diminuir o incomodo e o agravamento das pessoas internadas. Os profissionais também lidam com práticas preventivas e de reabilitação, como no meu caso".

A especialista finaliza que "as técnicas fisioterápicas têm função fundamental para amenizar a doença, relaxar os músculos e, portanto, recuperar a saúde dos acometidos pela Covid-19. Os exercícios impedem maiores danos e trazem uma resposta eficaz do próprio sistema imunológico, mas sobretudo, dão a essas pessoas uma maior força de vontade para voltar a lutar e vencer a doença traiçoeira.”