Ex-paciente faz live solidária em prol do Hospital de Câncer de Catanduva

Objetivo é conscientizar sobre a importância do tratamento imediato

Ex-paciente faz live solidária em prol do Hospital de Câncer de Catanduva

Foto: Arquivo Pessoal - Silvana Dias venceu o câncer de mama e promove ações solidárias durante o Outubro Rosa

Myllaynne Lima
Da Reportagem Local
Publicado em 15/10/2021

Após vencer o câncer de mama, Silvana Dias está realizando ações de conscientização sobre o Outubro Rosa. Em entrevista ao Jornal O Regional, ela revelou que o objetivo é encorajar outras mulheres a enfrentar a doença e conscientizar sobre a importância do autoexame.

“Descobri o nódulo no seio direito em outubro do ano passado. Fui fazer um ultrassom de mama solicitado pela minha ginecologista, porque fazia seis anos que não ia à ginecologista. Não senti nódulo, fui para fazer meus exames ginecológicos. Minha ginecologista fez todo o exame, não encontrou nada, ela pediu uma série de exames. No ultrassom de mama foi encontrado um nódulo, fui encaminhada para biópsia, naquilo meu mundo desabou. Fui ao mastologista com o laudo de ultrassom, em dez dias saiu o resultado da biópsia constando que havia um carcinoma ductal invasivo grau dois, ou seja, um câncer de mama, tinha 1,5 cm. Fiz todos os exames de rastreamento, graças a Deus não havia metástase, estava apenas no seio e em estágio inicial”, relembra.

Ela relata que, após a descoberta da doença, iniciou o tratamento. “Procurei uma oncologista e decidimos iniciar com a quimioterapia, fiz seis sessões, é um protocolo específico para o tumor que eu tive. Depois fiz a cirurgia para retirada do quadrante dos seios, os meus linfonodos estavam livres, não precisei fazer esvaziamento axilar, posteriormente, fiz 19 sessões de radioterapia. Atualmente, tomo uma medicação chamada TDM1, são 14 ciclos, é uma medicação preventiva para que esse tipo de tumor não volte em outros órgãos e por cinco anos farei bloqueio hormonal.”

Silvana também falou sobre o lado emocional após a descoberta do câncer de mama. “Durante esse processo foi muito difícil, foi como se eu tivesse recebido um diagnóstico de morte, porque apesar de não ter ninguém na minha família que tivesse tido câncer, eu rezava todos os dias pra Deus para não desenvolver o câncer. Eu me sentia muito sozinha, apesar de ter o apoio do meu esposo, filha, toda família. Com uma filha de dez anos vi que precisava me levantar e lutar por ela. Os meus olhos se abriram e vi que o câncer não é um diagnóstico de morte, que quando detectado no início ele tem todas as chances de cura e graças a Deus hoje estou curada".

E ressaltou que "o processo é muito doloroso, difícil, mas se a gente encarar com leveza, passamos de uma forma muito melhor. Vi Deus em todos os detalhes através das pessoas que cuidaram de mim, do Hospital Unimed e Hospital de Câncer, foram acolhedoras, me trataram com muito amor e carinho. Isso fez toda diferença, porque é um momento em que estamos totalmente fragilizadas pela doença e por toda questão estética. O cabelo, por exemplo, é a identidade da mulher, então foi muito difícil perder o cabelo, mas mesmo assim, foi leve. Depois que raspei o cabelo, encarei com naturalidade, usei lenço poucas vezes.”

Durante o período de tratamento, a doença despertou em Silvana o lado empreendedor. “Comecei a vender roupas para que pudesse distrair um pouco, tirar o foco da doença e encontrei a forma de lidar com tudo isso. O objetivo de eu ter começado a vender as roupas foi para que eu levasse leveza e autoestima para a vida de outras mulheres, independente de estarem passando pelo processo do câncer, todas as mulheres têm seus altos e baixos, e eu gostaria que elas se sentissem mais bonitas, se gostassem e se cuidassem. Que elas também pudessem através das roupas que vendo olhar para dentro de si e também florescer da forma como o câncer me possibilitou florescer. Hoje, eu olho a vida com outros olhos, com mais leveza, fazendo aquilo que eu gosto de fazer, amando as pessoas ao meu redor e tentando passar o máximo de tempo com pessoas com se importam comigo. O dia de amanhã não temos, apenas o de hoje.”

LIVE SOLIDÁRIA

Em alusão ao Outubro Rosa, que tem como foco principal alertar as mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama, Silvana realizará no dia 21 de outubro, às 19 horas, uma live solidária em prol do Hospital do Câncer de Catanduva.

A ação solidária vai destinar R$ 10 ao HCC por cada peça vendida. As roupas terão preço único de R$ 29,90. A live acontece pelo Instagram da loja @estilosacatanduva. Além da live solidária, Silvana vai realizar no dia 18 deste mês o sorteio de quatro exames preventivos, mamografias e consultas médicas através do Instagram da loja.

“Estou pronta para ajudar qualquer mulher, passei a compartilhar o meu contato para outras mulheres que estão passando pelo diagnóstico do câncer e estou tentando ajudá-las contando a minha experiência. Decidi fazer a live solidária para ajudar de forma eficaz e efetiva o hospital que me acolheu com tanto amor e fez diferença durante o meu tratamento.”