EMCAa aproveita distribuição de cestas básicas para fortalecer campanha contra a dengue

Aumento de casos preocupa setor que tem buscado driblar limitações da pandemia

EMCAa aproveita distribuição de cestas básicas para fortalecer campanha contra a dengue

Foto: Divulgação - EMCAa estima atingir mais de 5 mil pessoas com esta ação

Myllaynne Lima
Da Reportagem Local

Mesmo com a pandemia, o setor educativo da Equipe Municipal de Combate ao Aedes aegypti – EMCAa não interrompeu suas ações de orientação a população. Devido ao distanciamento, o modelo tradicional de ações corpo a corpo teve de ser substituído por iniciativas online e alternativas.

Dentre essas ações, está o envio de panfletos informativos sobre o combate ao vetor, que neste mês serão inseridos dentro de kits de óleo de soja, distribuídos junto às cestas básicas fornecidas pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Fundo Social de Solidariedade.

O setor também tem realizado formação de brigadas contra a dengue em imóveis públicos, junto a multiplicadores em empresas privadas e entidades religiosas, e a entrega de material informativo que possibilitem atingir grande número de pessoas, em curto espaço de tempo.

Ainda está prevista uma reedição da campanha #catanduvasemdengue, realizada entre os meses de fevereiro e março deste ano.

O setor vem se deparando com número elevado de casas fechadas mensalmente. De acordo com o responsável pelas ações educativas da EMCAa, Diego Palmieri, é preciso uma participação forte da população no cuidado com as residências, pois a partir de agosto, reinicia-se o período de chuvas.

“Hoje em dia não existe um período fechado de transmissão da dengue, ela ocorre durante todo o ano, porém em nossa cidade, historicamente, existe este aumento de casos entre os meses de agosto até março, por este motivo o setor vem intensificando suas visitas residenciais, promoveu a contratação de mais funcionários e está fechando parcerias para além de alertar a população manter vivo o tema dengue, que perdeu espaço na mídia para o Covid-19 e isso preocupa, pois a dengue também pode matar”, explica.

A EMCAa aposta no trabalho conjunto com a população para manter controlado o número de casos no município, o setor alerta que cidades vizinhas também se encontram com forte transmissão da doença, e que além da denúncia de locais com descarte irregular de materiais o munícipe deve ser parceiro na comunicação direta com o órgão.

“Temos um Disk Dengue atuante e também o aplicativo da Ouvidoria Catanduva que são ferramentas úteis para a comunicação do munícipe junto ao setor, peço também que ao sentir os sintomas, a população não se automedique e, principalmente, ligue para o número 3531-9200 para informar a equipe caso tenha feito algum exame de sorologia para dengue. Esta informação direta, acelera o processo de trabalho da equipe em campo”, completa.

A EMCAa estima atingir mais de 5 mil pessoas com a iniciativa e, com a reabertura da economia, mais ações estão previstas para os próximos meses.