Catanduva permanece entre contempladas por programa do Instituto Votorantim e BNDES

Cidades receberão mentoria online com especialistas em saúde para salvar vidas

Catanduva permanece entre contempladas por programa do Instituto Votorantim e BNDES

Foto: DIVULGAÇÃO - Instituto Votorantim também firmou parceria para a implantação da Robô Laura

Guilherme Gandini
Editor-Chefe

O Instituto Votorantim e o BNDES anunciaram o resultado da chamada pública que selecionou 40 municípios do país para participar do Programa AGP Saúde. Sete municípios paulistas estão entre os novos selecionados. Catanduva já participava do programa junto a outras 12 cidades e permanecerá entre as contempladas,

Agora, com a nova chamada, São Paulo chegará a 19 cidades atendidas, num total de 79 no País. O programa terá início em agosto para as novas cidades selecionadas, e os municípios participantes vão receber gratuitamente apoio para o enfretamento da pandemia e também para aprimorar sua oferta de assistência integral à saúde, além de outras ferramentas de apoio.

Ao participar do AGP Saúde, as administrações municipais e suas equipes técnicas de saúde podem avaliar suas estratégias e, com a iniciativa, aprimorar processos, práticas e níveis de gestão. O primeiro passo do programa é a aplicação de um diagnóstico rápido da atuação do município na área da saúde, com ênfase para atenção primária e vigilância epidemiológica.

A partir disso, o município define o que é mais urgente e prioritário, assim como metas e objetivos. A cidade deve montar uma equipe multidisciplinar para participar da mentoria online. Esse time é responsável, com as orientações dos consultores do programa, por implementar os planos de ação definidos e por acompanhar a evolução prática das iniciativas.

Ao final do período de mentoria, o diagnóstico inicial é reaplicado para identificar se o município conseguiu cumprir suas metas e se avançou nas competências de gestão priorizadas.

Essa é uma das diversas iniciativas adotadas pela Votorantim, desde março de 2020, para apoiar a sociedade no enfrentamento à pandemia. Os acionistas, a holding investidora Votorantim S.A. e as empresas de seu portfólio (Banco BV, CBA, CESP, Citrosuco, Legado das Águas, Nexa, Votorantim Cimentos e Votorantim Energia), por meio do Instituto Votorantim, direcionaram juntos R$ 150 milhões para combater a Covid-19.

"Fizemos uma análise de impacto das nossas iniciativas de 2020 que revelou maior eficácia, em termos de vidas poupadas e casos evitados, quando existe a melhoria da gestão pública do sistema de saúde. Isso vem pautando nossas ações em 2021", afirma Cloves Carvalho, diretor-presidente do Instituto Votorantim.

Esse estudo de impacto, realizado por um parceiro externo, o Metas Sociais, mostrou que, nos 151 municípios em que ocorreu a mentoria de apoio à gestão pública em 2020, quase 1 mil vidas foram poupadas, houve a redução de mais de 33 mil casos de Covid e um custo evitado de R$ 120 milhões em gastos com UTI.

No contexto da pandemia, o BNDES também tem realizado uma série medidas emergenciais para ajudar o País a enfrentar os efeitos econômicos e impactos sociais do novo coronavírus, tais como linha de crédito para pequenas e médias empresas, capital de giro para setores ligados à saúde, crédito para ampliação de leitos e da oferta de equipamentos e materiais hospitalares, campanha de financiamento coletivo, entre outras.

"Acreditamos que a atuação em parceria com outras instituições potencializa os resultados das ações do BNDES, contribuindo para mitigar os efeitos da pandemia da Covid-19 na vida da população brasileira", informa Conrado Leiras, Chefe de Departamento de Educação e Investimentos Sociais do BNDES.

ROBÔ LAURA

Em Catanduva, o Instituto Votorantim também firmou parceria com a Secretaria de Saúde, em junho do ano passado, para a implantação da Robô Laura, plataforma de inteligência artificial que faz a triagem e acompanhamento on-line de pacientes com suspeita do coronavírus. 

Pelo Whatsapp (41) 98774-6489 ou no site da Prefeitura, a robô Laura “aborda” o usuário e, num bate-papo, colhe informações e esclarece dúvidas sobre a doença, segundo os parâmetros da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde.

A iniciativa também tem o apoio do Instituto Laura Fressatto, que promove o desenvolvimento e a pesquisa em inteligência artificial para a área da saúde.