Casos de esteatose hepática aumentam devido à pandemia do coronavírus

Entre causas estão o sedentarismo, álcool e alimentos ultraprocessados

Casos de esteatose hepática aumentam devido à pandemia do coronavírus

Foto: DIVULGAÇÃO - Especialista alerta que esteatose hepática pode levar a ataque cardiovascular

Da Reportagem Local

A esteatose hepática não alcoólica, popularmente chamada de gordura no fígado, atinge 30% da população brasileira e, durante a pandemia causada pelo novo coronavírus, os casos aumentaram, principalmente pela combinação de sedentarismo, maior ingestão de álcool e de alimentos ultraprocessados.

De acordo com o cirurgião do aparelho digestivo, João Gabriel Romero Braga, a esteatose hepática é reflexo do estilo de vida e hábitos de cada pessoa. “A gordura no fígado é multifatorial, uma vez que os pacientes que têm a doença, geralmente, estão acima do peso, tem colesterol e triglicérides altos, diabetes, entre outras doenças”, destaca.

A doença é silenciosa, por isso, difícil de ser percebida e, quando diagnosticada, por meio de ultrassom, já significa que pelo menos 5% do seu fígado é formado por gordura.

“Por ser uma doença sem sintomas, pessoas que apresentem fatores de risco devem consultar um especialista para um acompanhamento, pois quando diagnosticada no início é possível a reversão do quadro, através, principalmente, de alimentação saudável, perda de peso e prática de atividade física. Lembrando que em casos mais graves, quando há maior comprometimento do fígado, pode haver uma evolução da doença para cirrose e até câncer”, completa o médico.

Vale ficar atento, já que a esteatose hepática pode causar sérios prejuízos à saúde, aumentando o risco de sofrer um ataque cardiovascular, como infarto ou AVC.

“Com a pandemia e as pessoas ficando mais em casa, o número de casos de esteatose hepática aumentou, uma vez que as pessoas ‘relaxaram’ quanto à alimentação e exercícios físicos. Boa parte da população ganhou peso e deixou de lado os hábitos saudáveis, o que pode ser muito prejudicial para a saúde em geral, especialmente para o fígado, nesse caso. Portanto, procure um especialista e adote um estilo de vida mais saudável”, finaliza.