Apeoesp quer terceira dose da vacina contra Covid para profissionais da Educação

Sindicato enviou ofício com solicitação para governador João Doria

Apeoesp quer terceira dose da vacina contra Covid para profissionais da Educação

Foto: DIVULGAÇÃO - Presidente da Apeoesp, professora Bebel encaminhou ofício a João Doria

Guilherme Gandini
Editor-Chefe
Publicado em 06/10/2021

A Apeoesp - Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo reivindica que o Governo do Estado de São Paulo autorize a vacinação dos profissionais da Educação com a dose de reforço da vacina contra a Covid-19.

O pleito foi encaminhado pela presidente da entidade e deputada estadual Professora Bebel, na sexta-feira, dia 1º, em ofício endereçado ao governador João Doria, ao secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn, e ao secretário de Educação, Rossieli Soares.

Segundo o ofício, a medida é necessária porque, desde agosto passado, os professores foram convocados a retornar ao trabalho presencial. "Isso os coloca em alto risco de contaminação, devido à aglomeração e à falta de estrutura das unidades escolares", afirma Bebel.

A Apeoesp contabiliza 2.909 casos de covid e 108 óbitos entre pessoas que trabalharam presencialmente nas escolas da rede estadual de SP desde o início deste ano.

Para o coordenador da Apeoesp na região de Catanduva e secretário-geral da entidade em São Paulo, Leandro Alves Oliveira, a iniciativa da presidência da entidade é necessária e louvável. “Na região de Catanduva, infelizmente o Estado tem omitido informações, mas temos recebido relatos quase que diariamente de professores, funcionários e estudantes contaminados.”

O cenário, para o sindicalista, mostra que as escolas não têm toda a adequação sanitária e higienização necessária para cuidar dos profissionais e alunos. “Algumas escolas sim estão com os parâmetros corretos, mas a sua grande maioria não tem todo esse aparato para inibir o avanço dessa doença.”

Ele diz que, diante da confirmação de casos, as escolas suspendem as aulas apenas da turma, mas a unidade de ensino segue em funcionamento sem qualquer medida de sanitização.

Coordenador do Fórum Estadual de Educação, entidade ligada à Secretaria Estadual de Educação que reúne mais de 70 entidades, Leandro Oliveira relembra a luta e campanhas feitas para que os profissionais de Educação fossem vacinados antes do retorno às aulas presenciais.

“Agora com essa variante Delta, que tem aumentado no Estado de São Paulo, muitos casos na cidade de São Paulo, ela tem se alastrado também para o interior, nós estamos exigindo do Governo que se faça a terceira dose, o reforço da vacina, para todos os profissionais”, frisa.