Veterinária fala sobre prevenção ao câncer de próstata em pets

Em média, 10% dos cães que chegam à clínica têm câncer de próstata

 Veterinária fala sobre prevenção ao câncer de próstata em pets

Foto: DIVULGAÇÃO - Veterinária fala sobre hemoterapia, uma das mais utilizadas para o tratamento

Da Reportagem Local
Publicado em 13/11/2021

O Novembro Azul tem como objetivo a conscientização sobre a prevenção contra o câncer de próstata. A campanha também chama a atenção para a saúde dos pets. Os animais mais acometidos pela doença são os cães (de meia idade e/ou idosos) não castrados.

Segundo a médica veterinária Melissa Bolzan Bueno, a hiperplasia prostática benigna, se não for tratada e o animal apresentar um quadro de prostatite ("inflamação" ou infecção da próstata) recorrente, pode se transformar em um tumor maligno.

“O tratamento efetivo é a cirurgia, removendo a próstata e os linfonodos regionais, evitando metástase em outros órgãos, principalmente a pulmonar. É um câncer que precisa ser diagnosticado rapidamente”, explica.

A incidência de casos da doença é menor em relação ao câncer de mama. Em média, 10% dos cães que chegam à clínica têm câncer de próstata. O índice é ainda menor em gatos.

E como o tutor pode saber se seu cão ou gato pode estar com algum problema na próstata? A especialista enumera os principais sintomas: dificuldade ou ausência de urina; sangue na urina; dificuldade para evacuar; sangue nas fezes e dor para fazer xixi ou coco.

“O diagnóstico é feito através da palpação retal, exames de sangue e de imagem (ultrassom abdominal)”, informa a profissional.

A castração é a melhor forma de prevenir o câncer de próstata em animais. É importante que ela seja feita quando o animal é ainda jovem. Isso porque impede a produção excessiva de hormônios. Com isso, o tecido prostático não poderá se desenvolver, levando ao eventual crescimento da próstata e/ou à formação de tumores. “É ideal que sejam realizados também os exames de rotina e avaliação da próstata”, finaliza.

As terapias integrativas são aliadas para diminuir os efeitos colaterais do tratamento, dar mais qualidade de vida e aumentar as chances de cura do animal. Quimioterapia homeopática, física quântica, Reiki, hemoterapia, ozonioterapia são tratamentos integrados e que dão mais qualidade de vida ao paciente.