Uefa pede afastamento de juiz de Madri de processo sobre Superliga

Entidade também apelou em tribunal superior da capital espanhola

Foto: REUTERS - É improvável que o caso leve à ressurreição imediata da liga alternativa, que enfrentou críticas duras de torcedores, dirigentes do futebol e políticos


Agência Brasil


A Uefa pediu que o juiz de Madri encarregado do caso da Superliga Europeia se abstenha e também apelou em um tribunal superior da capital espanhola devido ao que classificou como "irregularidades consideráveis".


Na segunda-feira (27), a Uefa disse que anulou uma ação disciplinar contra os clubes da liga rebelde, Real Madrid, Barcelona e Juventus, depois que uma corte de Madri determinou em julho que a entidade reguladora do futebol europeu não deveria puni-los.


A Uefa havia iniciado um inquérito sobre os três times, mas em junho o suspendeu depois de ser notificada por autoridades suíças a respeito de uma ordem judicial do tribunal madrilenho obtida pela entidade legal Companhia da Superliga Europeia SL, criada pelos times rebeldes.


É improvável que o caso leve à ressurreição imediata da liga alternativa, que enfrentou críticas duras de torcedores, dirigentes do futebol e políticos, mas força a Uefa a se defender de acusações ligadas à lei de concorrência, o que pode ter um impacto em qualquer tentativa futura.


Embora a Uefa diga que não reconhece a jurisdição do 17º Tribunal Mercantil de Madri, esta corte também pede que o Tribunal Europeu de Justiça analise se a Uefa violou a lei de concorrência da União Europeia com suas ações no caso da Superliga.


Juventus, Barcelona e Real Madrid são os únicos dos 12 times iniciais que se filiaram à liga rebelde em abril, que desmoronou quando seis clubes ingleses, a Inter de Milão, o Milan e o Atlético de Madri recuaram.

0 visualização0 comentário