• Daniele Jammal

PENEIRA FINA – 31/10/2021

Coluna – DOMINGO

REPERCUSSÃO

A nota publicada ontem sobre a ajuda de R$ 1 milhão ao IMES/Fafica, que a Prefeitura está propondo no projeto de lei encaminhado à Câmara Municipal, causou repercussão na comunidade e leitores. Muitos elogiando e outros criticando.


AJUDA TARDIA

Um leitor entrou em contato com a coluna para elogiar o trabalho da ex-diretora do IMES, Maria Lúcia Miranda Chiliga. Segundo o leitor, a antiga direção da faculdade conseguia tirar “água de pedra”, em virtude do número reduzido de alunos matriculados, sem contar os que estavam inadimplentes com as mensalidades. O amigo leitor considerou que a ajuda proposta pelo Executivo deveria ter vindo no primeiro semestre deste ano, e não somente agora, com a mudança da direção da faculdade. Tá registrado.

EXTRAORDINÁRIA

A coluna entrou em contato com o presidente da Câmara, Gleison Begalli (PDT), que confirmou que deverá ser pedida para quarta-feira uma sessão extraordinária para que o projeto de lei seja votado em segunda discussão. E sem fazer exercício de adivinhação, com a extraordinária, algum nobre edil também poderá pedir que os projetos aprovados em primeira discussão sejam incluídos na sessão extra, para limpar a pauta.


NEM TANTO A FAVOR

Na conversa com Gleison, um fato causou surpresa. O presidente não é 100% a favor, pois considera que o P.L. de ajuda ao IMES tem que ser melhor analisado. “Temos que encontrar uma saída concreta de ajuda à faculdade. Não é justo as pessoas pagarem uma dívida que não é delas, e o munícipe arcar com gestões anteriores que não souberam gerenciar o problema. O projeto de lei concede uma ajuda de R$ 1 milhão, mas não apresenta um plano de recuperação”. Hoje a dívida do IMES é superior a R$ 5 milhões. “Uma hora a bomba vai estourar e será o município que irá arcar com isso. Existe uma necessidade de analisar com cuidado os números da faculdade, pela qual todo catanduvense tem um carinho enorme”, destacou Begalli.


DERROTA

A ex-deputada Beth Sahão, o Partido dos Trabalhadores e a Coligação União Para o Bem de Catanduva sofreram mais uma derrota na ação judicial eleitoral de compra de votos pelo grupo liderado pelo prefeito Padre Osvaldo (PSDB). O juiz eleitoral José Roberto Lopes Fernandes rejeitou os embargos de declaração contra a sentença que considerou improcedente a ação. Os advogados do partido alegam que mesmo não tendo a compra de votos, faltou contabilizar nos gastos da campanha o dinheiro utilizado para a contratação da suposta equipe. O juiz considerou que não, destacando que a via escolhida pelos bacharéis foi inadequada. Teremos um próximo round???


A BRUXA TÁ SOLTA

Hoje, dia 31 de outubro, é comemorado o 'Halloween', ou no Brasil também conhecido como Dia das Bruxas. A data tem suas raízes não na cultura americana, mas no Reino Unido. Seu nome deriva de 'All Hallows' Eve'. 'Hallow' é um termo antigo para 'santo', e 'eve' é o mesmo que 'véspera'. O termo designava, até o século 16, a noite anterior ao Dia de Todos os Santos, celebrado em 1º de novembro. Acredita-se que a festividade surgiu no século 18 com o festival celta de Samhain (termo que significa 'fim do verão'), um antigo ritual pagão. A festa durava três dias, tendo início no dia 31.


DIA DO HOMEM?

Só para constar: amanhã também é comemorado o Dia do Homem, mas todos conhecem por Dia de Todos os Santos (risos)....


OPERAÇÃO FINADOS

A Polícia Militar iniciou na sexta-feira a Operação Finados 2021 para reforçar a segurança em todo o Estado de São Paulo durante o feriado prolongado. Durante a operação, a Polícia Rodoviária está focada em coibir a embriaguez ao volante, ultrapassagens proibidas, uso indevido do celular durante a condução dos veículos, bem como controlar a velocidade dos automóveis e garantir a correta utilização de cintos de segurança, dispositivos de retenção para crianças, além de outros equipamentos previstos nas normas de trânsito. Vá com calma para chegar bem, e lembre-se: se beber, não dirija.


MEIA-ENTRADA

Mais um absurdo dos senhores deputados estaduais. A Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) tinha aprovado o fim da meia-entrada em eventos culturais e esportivos no Estado. O texto proposto na Casa pelo deputado Arthur do Val (Patriota), o 'Mamãe Falei', foi aprovado na noite da última quarta-feira, em regime de urgência. Mas ainda bem que no Governo tem gente que pensa...


PROJETO VETADO

O que talvez o nobre deputado esqueceu é que a meia-entrada é um direito garantido por leis federais. O texto aprovado propunha que não houvesse diferenciação na venda de ingressos para categorias com direito ao benefício, como estudantes ou idosos. O governador de São Paulo em exercício, deputado Carlão Pignatari (PSDB), vetou integralmente o projeto de lei. A decisão saiu no Diário Oficial do Estado de ontem. A justificativa do veto apresentada por Pignatari no Diário Oficial é a de que o projeto conflita com disposições federais sobre o tema. Palmas para Pignatari.


ADEUS REELEIÇÃO

Na prática, a medida representava o fim do benefício. Na justificativa do projeto, o deputado Arthur do Val dizia que "pobre não estuda” por muito tempo. “O fato de uma pessoa ser estudante ou professora não a torna, por si só, pobre. Geralmente, como dito, os pobres não estudam por tantos anos”, dizia na proposta. Com projetos de lei como esse, o deputado parece estar querendo dizer adeus à sua quase impossível reeleição no ano que vem.


A FRASE

“O amor não é viver felizes para sempre. Isso é um conto de fadas. O amor é saber como enfrentar a vida juntos.” (Autoria desconhecida)

16 visualizações0 comentário