• Daniele Jammal

PENEIRA FINA – 29/06/2021 – Terça-feira

Atualizado: Ago 10


É HOJE O problema do pagamento do dissídio coletivo para os servidores públicos municipais, parecia uma novela mexicana: muitos capítulos, com pitadas de dramalhão, intrigas, suspense e até comédia, onde tentaram fazer os funcionários de palhaços, enrolando ao máximo o pagamento. Mas hoje, essa história chega ao fim depois de seis anos, dois prefeitos e uma prefeita. A administração municipal realiza o pagamento a quase três mil funcionários municipais, injetando na economia local cerca de R$ 30 milhões. Só podemos deixar os parabéns a todo o funcionalismo público municipal.


ENIGMÁTICO O prefeito padre Osvaldo, ao participar de uma “Live” no domingo a noite, foi questionado sobre a data de pagamento do dissídio e não disse uma data específica. A resposta foi na base do enigma: “Eu sou devoto de São Pedro”. Hoje, dia 29, é comemorado o Dia de São Pedro, o terceiro santo das festas juninas. Ontem de manhã, pelas redes sociais, o prefeito fez um vídeo, informando a data de pagamento.


THE END Hoje também é marcado como o último dia do lockdown catanduvense. Amanhã a cidade, começa a ter um plano de retomada econômica e de atividades, de acordo com o decreto nº 8.055, publicado no último sábado a tarde. Mas é esperado que a população continue fazendo sua parte, usando máscara e álcool gel nas mãos, além do distanciamento social.


DISCUSSÃO ÚNICA A Câmara Municipal realiza hoje, a partir das 15:00 horas, mais uma sessão ordinária, com seis projetos de lei para serem votados em primeira discussão e apenas um em segunda discussão. Mas na verdade, o ponto alto da sessão será a discussão única e votação do requerimento do vereador Maurício Ferreira (PDT), solicitando ao prefeito, a retirada do médico Ricardo Santaella Rosa do Comitê Técnico de Enfrentamento do Covid-19. A rádio Vox FM – 101,3 – transmite ao vivo a sessão da Câmara.


ÁUDIO DO PROMOTOR No domingo, os aplicativos de mensagem replicaram o longo áudio do promotor André Nogueira da Cunha, enviado ao presidente da ACE Catanduva, Marcos Escobar, explicando que ele não pediu o lockdown e dizendo não ter motivo para participar de uma reunião com os comerciantes, citando os argumentos para a recusa. No áudio, Cunha diz não ter coloração política e que o processo de improbidade administrativa contra o prefeito municipal irá transcorrer, podendo ser condenado ou absolvido.


MODA A moda agora na cidade é fazer carreata. Na sexta, foi realizada uma. Ontem, outra. E hoje, mais uma. Os postos de combustíveis agradecem.


CONSELHO DE SAÚDE Amanhã, dia 30, quarta-feira, às 18:00hs, o Conselho Municipal de Saúde de Catanduva irá realizar sua reunião ordinária mensal, na forma presencial e no modelo híbrido, em sua sede na rua Amazonas, 161. Na pauta da ordem do dia, entre várias discussões, consta a discussão e deliberação da prestação de contas de abril/2021 da Secretaria Municipal de Saúde, as tratativas para a criação de um Grupo de Trabalho para estudo e análise da viabilidade de tratamento imediato para o tratamento do Covid-19, entre outros. O Conselho de Saúde é presidido atualmente, por Carlos José Dezuani Júnior.


OPINIÕES Seria interessante que os conselheiros do Conselho Municipal de Saúde, também realizassem uma análise sobre o lockdown catanduvense e sobre o alto número de mortes que ocorre no UPA Covid. Na reunião, existe o momento das explicações pessoais e fica a pergunta no ar: os conselheiros foram a favor ou contra do lockdown?

(colocar foto do prefeito carregando caixas)


FAZENDO BICOS A vida não está fácil para ninguém, principalmente nesta época de pandemia. Até padre Osvaldo foi escalado para ser carregador de caixas na manhã de ontem no Fundo Social. O prefeito estava acompanhando as entregas para as famílias carentes e de repente, chegou o caminhão para descarregar mais cestas. Não tiveram dúvida, chamaram Osvaldo para ajudar. Agora no currículo, além de padre e prefeito, pode colocar também “chapa”.


VERBAS COVID Sempre alguém pergunta: e as verbas federais e estaduais para o enfrentamento do Covid-19? Quanto tem? Quanto foi gasto? Para proporcionar maior visibilidade e transparência das receitas e despesas destinadas ao enfrentamento do novo Coronavírus (Covid-19), a Prefeitura de Catanduva disponibilizou um menu exclusivo no Portal Transparência, para mostrar os gastos e ações específicas. Na Saúde, até o dia 25 de junho, existia um saldo disponível de R$ 6.663.962,77. Se quiser saber mais, acesse www.catanduva.sp.gov.br/coronavirus


A FRASE " Faça o que puder, com o que tiver, onde estiver”, (Theodore Roosevelt, ex-presidente norte-americano)


1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo