• Daniele Jammal

PENEIRA FINA – 19/08/2021

Coluna – Quinta-feira

SKATE E CRÍTICAS Depois que anunciou ontem de manhã, junto com padre Osvaldo (PSDB), a construção de uma segunda pista de skate na cidade, a vereadora Ivânia Soldati (Republicanos) recebeu uma saraivada de críticas nas redes sociais, comparando a pista de skate com o trabalho em prol dos animais, que foi sua bandeira de campanha. Algumas semanas atrás, Ivânia havia solicitado melhorias na pista do Conjunto Esportivo, mas um dia depois da pintura, vândalos realizaram protesto com pichações.


RESPOSTA A vereadora Ivânia entrou em contato com a Peneira Fina e disse: “comigo a causa animal jamais será esquecida, e sim cada vez mais amada e defendida. Já os outros setores, irei lutar por uma Catanduva melhor. A nova pista de skate é um exemplo disso”. Três áreas do município estão sendo estudadas pela Prefeitura, para a escolha da nova pista de skate. Como perguntar não ofende: será que fica pronta até o fim do ano?


IMAGINAÇÃO Por enquanto imaginar não paga imposto... mas imagina, na inauguração da nova pista de skate, o prefeito e a vereadora, com capacete, cotoveleiras, joelheiras e a prancha de skate, e mostrando que sabe fazer alguma manobra. Uhuuu, radical!


PROMOTORIA CEGA Na última terça-feira, ao usar a tribuna no “pinga-fogo”, o vereador Marquinhos Ferreira (PT) criticou a falta de projetos sociais e as crianças que pedem aos motoristas, no semáforo próximo da SAEC, na rua São Paulo. “Eu acho que a promotoria de Catanduva é cega. O promotor e as pessoas que cuidam de crianças, tem que andar nesta cidade. Não é possível que Conselho Tutelar, Promotoria pública e Assistência Social não passam de sábado em frente a SAEC, pois é menor de cinco, seis, sete e oito anos, pedindo”, disse o edil petista.


NEM AÍ Continuando a disparar críticas, Ferreira (PT) disse que os pais colocam as crianças para vender balas, vender bolachas no semáforo. “Elas deviam estar em um projeto social, estudando de manhã e participando do projeto a tarde. O prefeito tem que ter boa vontade. E a Promotoria que me desculpe, mas eles não estão nem aí com as crianças”, disse Marquinhos, que ainda pediu ao “promotor que cuida das crianças, de sábado, dar uma volta junto com o Conselho Tutelar”.


PRIMEIRO ALISA O vereador Alan Figueiredo (PP) em discussão do projeto de lei 94/2021 que dispunha sobre a proibição da cobrança da taxa de religação de água no município de Catanduva, em um primeiro momento começou a parabenizar o autor do projeto, Marquinhos Ferreira pela ideia e pelo projeto....


DEPOIS A PORRADA Após os elogios, o edil Figueiredo disse que já tinha a promessa do Executivo, da vinda de um projeto semelhante. “Com todo o respeito e apreço que tenho ao vereador, gostaria de pedir um adiamento ‘sine-die’ – sem fixar data futura – e me proponho acompanhar de perto”, disse o vereador. Ou seja, Alan solicitou que o projeto fosse para a “gaveta do esquecimento”. Neste momento, a “tropa celestial” entrou em campo e o engavetamento foi aprovado por... unanimidade, inclusive com o voto do autor do P.L.


ARMANDO VOLTA Só faltou o vereador Alan Automóveis soltar um “sambarilove”....


URGÊNCIA E horas antes de iniciar a sessão ordinária da Câmara, quatro projetos de leis complementares entraram em regime de urgência, sendo convocada sessão extraordinária, e foram aprovados. Foi “vapt-vupt”.


COISA DE MALUCO Em decisão, considerada no mínimo estapafúrdia, o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou na última segunda-feira, que o Ministério Público Federal investigue ações da Polícia Civil contra bandidos que controlam cerca de 1.500 favelas na cidade do Rio de Janeiro. A ordem é para apurar se a Polícia Civil descumpriu a ordem do Supremo que proibiu operações policiais, ressalvadas “situações excepcionais”, durante a pandemia da Covid-19.


DIREITO DOS “MANOS” A ação foi movida por um grupo de ONGs e mais o Partido Socialista Brasileiro (PSB). Os autores da ação não solicitaram qualquer tipo de providência legal contra as facções criminosas de traficantes que controlam essas localidades. Em sua decisão, Fachin também autorizou os autores da ação, o PSB e ONGs, a terem acesso “às comunicações das operações policiais, assim como aos relatórios produzidos ao final das operações”.


A FRASE “A corrupção não é uma invenção brasileira, mas a impunidade é uma coisa muito nossa.” (Jô Soares, artista, humorista, entrevistador e escritor)

0 visualização0 comentário