• Daniele Jammal

PENEIRA FINA – 07/12/2021

Atualizado: 8 de Dez de 2021

Coluna – TERÇA-FEIRA

HOMOFOBIA

E o final de semana foi agitado na cidade. No último sábado, o proprietário de um estabelecimento comercial foi acusado de homofobia por não permitir que duas mulheres trocassem um selinho (uma demonstração pública de afeto) em sua choperia, e cancelando o pedido realizado pelo casal. Raíssa Furlan relatou em seus “stories” no Instagram o fato, dizendo que ela e sua companheira Beatriz Péulopi consideraram que fosse apenas uma brincadeira. Mas descobriram que não era.

EXPOSIÇÃO

Entre os desabafos, Raíssa disse que “expor duas pessoas ao ridículo pela sua opção sexual ou por simplesmente dar um selinho (...) é o fim do mundo pra mim.”. O que se pode constatar pelas redes sociais é que as duas eram conhecidas do proprietário. “Torcia muito pra que voltassem com força depois da pandemia, mas a gente vê quem é quem e quem vale a pena torcer pelo sucesso e quem não, uma pena ter tanto potencial, mas ao mesmo tempo tanto preconceito.”


ESCLARECIMENTO

O estabelecimento em que o fato ocorreu foi a conhecida Choperia Tio Edson, que também usou as redes sociais para emitir nota de esclarecimento: “Nosso bar sempre teve um enorme público LGBTQIA+ e nunca tivemos nenhum problema, muito pelo contrário, procuramos acolher a todos. O caso de ontem (sábado) foi um infeliz acontecido que sem a intenção, acabou por ofender toda uma comunidade que merece extremo respeito. Não existem desculpas a serem dadas, pessoas foram ofendidas e, sim, isso é crime. Não vamos nos silenciar porque o pedido de desculpas é o mínimo. A todos que foram afetados pela situação, nossas sinceras desculpas. Vamos procurar resolver a situação diretamente com as partes envolvidas.”

MANIFESTO

Na noite de domingo, cerca de 50 pessoas realizaram, defronte à choperia, uma manifestação pacífica com palavras de ordem e cartazes. O proprietário, Tio Edson, chegou a conversar com as pessoas através de um microfone. No final do protesto, as duas mulheres envolvidas na situação deram um beijo e foram aplaudidas pelos presentes.

NOTA DE REPÚDIO

O Conselho Municipal dos Direitos LGBTs divulgou nota de repúdio sobre os fatos, assinada pela vice-presidente Letícia Monteiro Martins: “vem, por meio desta nota, expressar sua preocupação com o risco de que tais medidas atinjam de forma especial – e portanto discriminatória – a população LGBTQIA+. O noticiado constrangimento sofrido por um casal homossexual dentro do citado estabelecimento comercial é grave e lamentável para a comunidade LGBT e reitera seu firme repúdio a quaisquer condutas que configurem homofobia ou que incitem a discriminação de pessoas em razão da sua orientação sexual.”

JUDICIAL

Em live realizada na noite do domingo pelo jornalista Sérgio Melhado, ambas participaram através de comentários e confirmaram que irão ingressar com ação na Justiça contra o proprietário do estabelecimento.


NOVOS CAPÍTULOS

A novela 'Léo Lins x Prefeitura Catanduva' continua com novos capítulos. Depois de anunciar na sexta-feira à noite o Yellow Door Pub como novo local para a realização de seu show, no sábado à tarde, o mesmo foi mais uma vez adiado e remarcado para o dia 10 de dezembro, próxima sexta-feira, com a divulgação em breve do local que será realizado.


AMARELO CANCELADO

Entramos em contato com Bruno Bedin, proprietário do Yellow Door Pub, para entender o motivo do cancelamento do show no local. Oficialmente, de acordo com Bedin, devido ao grande número de pessoas que compraram convites seriam necessárias, no mínimo, três sessões, algo que impossibilitou a realização do evento no espaço.

PRESSÃO EXTERNA

A coluna apurou, mas não confirmada por nenhuma das partes, que existiu sim pressão externa vinda pelos lados do Paço Municipal para que o empresário da casa noturna desistisse da ideia de ser palco do show de stand-up. Verdade ou mentira, o fato é que o evento não aconteceu.


AQUI NÃO

As más línguas dizem, na 'Esquina do Pecado', que alguns integrantes da equipe do Chefe do Executivo e até mesmo alguns vereadores da Câmara estariam dispostos a não deixar o show acontecer, com declarações do tipo: “onde já se viu, veio ofender a gente . Agora vai aprender a lição e que sirva de exemplo para outros.” Ao analisar friamente, podemos dizer que a Prefeitura achou “uma agulha no palheiro” para evitar o show, porém fez “burrada”. Afinal, se tivesse acontecido normalmente o show no último domingo, hoje já nem seria mais comentado. Criou uma celeuma onde não existia....


10 PROJETOS

A Câmara de Vereadores de Catanduva realiza hoje, a partir das 17h30, mais uma sessão ordinária. Dez projetos estão na Ordem do dia, sendo cinco em primeira discussão, quatro projetos em segunda discussão e um projeto de Decreto Legislativo em discussão única, que Concede a 'Medalha 14 de Abril' ao comandante Robinson Farinazzo Casal.


AUMENTO SALARIAL

Três projetos de lei foram protocolados na Câmara Municipal de Novo Horizonte, prevendo um reajuste de 15% nos subsídios do prefeito, vice e secretários, além dos servidores públicos municipais. Um quarto projeto prevê o reajuste dos servidores do legislativo com a mesma porcentagem.


A FRASE

“Democracia é oportunizar a todos o mesmo ponto de partida. Quanto ao ponto de chegada, depende de cada um.” (Fernando Sabino, escritor, cronista e jornalista)

25 visualizações0 comentário