• Daniele Jammal

PENEIRA FINA – 02/07/2021 – Sexta-feira


SAIU O presidente do Conselho Municipal de Saúde (CMS), Carlos Dezuani Jr., retirou-se do cargo de presidente, na reunião realizada na última quarta-feira à noite. O motivo foi um parecer do Grupo de Trabalho, coordenado pelo conselheiro Orivaldo Lima, seguindo o Regimento Interno do Conselho, a Lei nº 5.917 e a Nota Técnica 001/2017, onde membros do conselho não podem ter vínculos com o governo, pessoas com cargos em comissão, funcionários públicos e seus parentes, além de pessoas vinculadas aos prestadores. No caso do presidente, sua esposa Débora Dezuani, é funcionária pública, atuando no setor de fiscalização da prefeitura.


TRANQUILO Logo após o fim da reunião, Dezuani Jr. conversou com a coluna, e disse estar tranquilo. “O parecer foi acatado pela maioria dos conselheiros. A letra fria da lei está sendo cumprida”, frisou o advogado e empresário. Ele destacou que futuramente existe uma necessidade de aprimorar a legislação e desejou boa sorte aos membros do CMS. O agora ex-presidente Dezuani Jr. assumiu em outubro de 2020, após uma acirrada eleição na época. Ele era representante da Associação Comercial e Industrial – ACE, que deverá indicar um novo representante para o Conselho Municipal de Saúde.


PARAÍSO Além do presidente, outros cinco membros do Conselho também estão na mesma situação, de ter algum parente trabalhando direta ou indiretamente para a administração municipal. O conselheiro (que já foi presidente do CMS), Osvaldo Pereira Júnior também pediu o desligamento, em virtude de seu filho trabalhar no Consirc - Consórcio Público Intermunicipal de Saúde da Região de Catanduva. Em seu discurso de despedida, Osvaldo usou um trecho de uma música do grupo dos anos 80, Blitz, dizendo “estou a dois passos do paraíso”...


ELEIÇÃO O vice-presidente do Conselho, o médico Arthur do Espírito Santo Jr., assume a presidência e na próxima reunião deve convocar nova eleição para o CMS.


COICE Durante o “pinga-fogo” na última sessão da Câmara, a vereadora Ivânia Soldati (Republicanos) ocupou a tribuna para mostrar fotos de um cavalo que foi atropelado e apreendido, e o caso foi usado para realizar uma denúncia contra o diretor de Agricultura da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Rodrigo Antônio de Souza, que teria discutido com um integrante da Guarda Municipal/Patrulha Ambiental, e tentado coagir o GCM a não realizar multas de maus-tratos ao animal. Da tribuna, a vereadora questionou ao prefeito: “o que será feito?”


GRELHA Aproveitando a “deixa”, o vereador Allan Figueiredo (Progressistas) pediu um aparte, confirmando que o diretor é o conhecido Rodriguinho da Feira, um desafeto declarado do edil. “Continuam as perseguições dentro da Secretaria. A secretária Júlia tem medo dele, pois o mesmo tenta se impor. Não é possível e até quando o prefeito vai aguentar essa situação com esse rapaz”, frisou o vereador Allan.


A FAVOR Os vereadores Nelson Tozzo (PDT) e Carlos Alexandre - Gordo do Restaurante (PSDB) saíram em defesa do diretor da Agricultura. Tozzo disse que Rodrigo é trabalhador. Gordo defendeu Rodriguinho, dizendo que o diretor não maltratou ninguém, que estava lá e tem certeza que o padre ouvirá os dois lados. Após o discurso do edil, a vereadora Ivânia pediu para fazer uma acareação entre o GCM e o diretor da agricultura: “meu dever é denunciar”, frisou Soldatti.


FOGO AMIGO A surpresa ficou com o presidente da Casa, vereador Gleison Begalli (PDT), que disse ter sido vítima do instinto agressivo do diretor da agricultura, ainda durante a campanha eleitoral. Em um áudio do grupo de campanha, “ele se julga o dono da feira, e entre outros predicados e ameaças, disse que passaria com um trator por cima de mim”. Um detalhe que chama a atenção, é que Gleison e Rodrigo são do mesmo partido: o PDT.


FOGO AMIGO – II E não contente em citar os bastidores de campanha, o presidente da Câmara, disse ter conhecimento “de uma denúncia muito séria, que até caberia uma investigação: no uso de suas funções, o diretor estaria oferecendo horas extras na Secretaria, em troca de apoio político de uma eventual candidatura futura. Um caso bastante sério”, destacou Begalli.


REPERCUSSÃO INTERNA Após a fala de Begalli, membros do PDT já repercutiam tal atitude, feita pelo presidente da Câmara Municipal. “Foi algo desnecessário, demonstrando ser uma pessoa em busca de vingança, mesmo com o passar do tempo”, disse um integrante do partido em conversa com a coluna. Para outro membro, que pediu para não ser identificado, “o fato gera uma certa turbulência partidária.”


DESABAFO Para o diretor de agricultura, Rodrigo de Souza, “o que foi falado na Câmara Municipal trata-se de mentiras ditas por pessoas inseguras. Hoje penso apenas em fazer e desempenhar meu papel de forma digna para que o Governo do Prefeito seja correto, e tenho minha plena consciência de que trato a todos com respeito mútuo e a certeza que estamos no mesmo barco. Não coagi ninguém e nem tão pouco a Secretária. Sou muito homem de assumir algum erro e até mesmo pedir desculpas e perdão, reconhecendo alguma falha”, desabafou Rodriguinho da Feira.


A FRASE “Mire na lua. Mesmo que você erre, você vai acertar as estrelas." (Les Brown, palestrante americano)

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo