• Daniele Jammal

Homem se entrega após afirmar que estava com bomba perto do Capitólio

A polícia fechou ruas e isolou edifícios próximos

Foto: REUTERS - A polícia bloqueou as vias ao redor do complexo do Capitólio enquanto caminhões dos bombeiros se dirigiam para a área


Agência Brasil


Um homem que afirmou ter uma bomba em uma caminhonete estacionada perto do Capitólio dos Estados Unidos se entregou à polícia após provocar um impasse que levou à retirada de pessoas de prédios próximos e paralisou uma parte de Washington durante mais de cinco horas, nesta quinta-feira (19).


O chefe de Polícia do Capitólio, J. Thomas Manger, disse a repórteres que o homem, identificado como Floyd Ray Roseberry, estacionou seu veículo em uma calçada em frente à Biblioteca do Congresso dos EUA por volta das 9h15 (horário local) e disse a um oficial que o abordou que tinha uma bomba, enquanto segurava o que parecia ser um detonador.


A polícia fechou ruas e isolou edifícios próximos enquanto negociava com Roseberry.

"Ele desistiu e não resistiu e nossos rapazes puderam prendê-lo sem incidentes", disse Manger.


A polícia não disse se ele tinha explosivos. Um vídeo transmitido ao vivo no Facebook mostrou Roseberry, um homem branco, careca, com cavanhaque, falando dentro de uma caminhonete preta estacionado na calçada.


"A revolução está acontecendo, ela está aqui", disse ele no vídeo, enquanto parecia segurar uma grande lata de metal em seu colo. "Estou tentando falar com (o presidente dos Estados Unidos) Joe Biden no telefone."


Sua ex-mulher, Crystal Roseberry, disse à Reuters que ele havia sido diagnosticado com esquizofrenia e que a havia ameaçado com armas de fogo no passado. Ela disse que se divorciou dele há cerca de oito anos.

"Ele é louco", disse a mulher.


O Facebook desativou a transmissão ao vivo e removeu o perfil do homem após cerca de quatro horas.


Agentes federais invadiram a casa de Roseberry em Grover, na Carolina do Norte, durante o impasse na capital dos EUA.


Vizinhos disseram que Roseberry costuma detonar explosivos em seu quintal e perturbar os caçadores de cervos, disparando repetidamente com sua arma.

"Ele não queria que ninguém matasse nenhum cervo", disse o vizinho Wayne Davis à Reuters.


Em Washington, a área normalmente apinhada do Capitólio estava relativamente deserta, com a Câmara dos Deputados e o Senado sem sessão.


A polícia bloqueou as vias ao redor do complexo do Capitólio enquanto caminhões dos bombeiros se dirigiam para a área. O Departamento de Álcool, Tabaco, Armas de Fogo e Explosivos enviou um técnico em bombas para apoiar a polícia. O FBI também compareceu ao local.


Prédios próximos, incluindo a Suprema Corte dos Estados Unidos, foram esvaziados.

Uma cerca de alta segurança fora erguida na área após a invasão ao Capitólio em janeiro por partidários do então presidente Donald Trump, mas foi removida em meados de julho.

0 visualização0 comentário