• Daniele Jammal

Goalball feminino perde em Tóquio para EUA e disputa bronze com Japão

Brasil perdeu nos pênaltis após marcar 2 a 0 no primeiro tempo


Foto; Ivan Alvarado - Se brasileiras vencerem japonesas conquistarão medalha inédita


Agência Brasil


A seleção brasileira feminina de goalball foi derrotada nesta quinta-feira (2) para os Estados Unidos por 3 a 2, nos pênaltis, nas semifinais da Paralimpíada de Tóquio.


A prorrogação terminou empatada por 2 a 2 no Centro de Convenções Messe, na cidade de Chiba. Com este revés, as brasileiras vão disputar medalha de bronze com o anfitrião Japão. O duelo será realizado amanhã (3), à 1h15 (horário de Brasília).


Caso o Brasil vença, conquistará medalha inédita para no goalball feminino. Nesta atual edição dos Jogos, as brasileiras repetem, até o momento, a campanha da Rio 2016. No Rio de Janeiro, o Brasil disputou o bronze com os Estados Unidos, perdendo por 3 a 2, e, consequentemente, ficou em quarto lugar.


Além disso, Brasil e Estados Unidos já haviam se enfrentado em Tóquio 2020. Na primeira fase, as brasileiras perderam por 6 a 4 na estreia da competição.


O jogo

A partida foi bastante equilibrada como era previsto. No primeiro tempo, as brasileiras saíram vitoriosas por 2 a 0, com dois gols de Jéssica Gomes. Assim como nas quartas de final contra a China, a defesa do Brasil foi impecável.


Após o intervalo, na segunda metade da etapa complementar, as norte-americanas diminuíram com Amanda Denis (2 a 1). Em seguida, Amanda novamente surgiu como destaque no jogo. Restando apenas 15s14 para o fim do segundo tempo, a norte-americana marcou o gol que levou a partida para a prorrogação.


A partir daí, o duelo não permitia mais erro, quem balançasse a rede adversária disputaria a decisão (golden goal). No primeiro tempo ninguém conseguiu furar a defesa oponente, o mesmo ocorreu na segunda etapa.


O jeito foi decidir a vaga para a final na cobrança de pênaltis (extra-throws). Lisa Czechowski, Amanda Denis e Eliana Mason converteram as finalizações para os EUA, já Ana Carolina Custódio e Moniza Lima fizeram para o Brasil.


O quarteto Jéssica Gomes, Victória Amorim, Kátia Silva e Ana Gabriely (Gaby) desperdiçou os lançamentos brasileiros, enquanto a dupla Marybai e Asya Miller perdeu suas oportunidades.


Campanha em Tóquio 2020


Além da derrota para os EUA na fase de grupos, as brasileiras empataram com o anfitrião Japão por 4 a 4 e o perderam para a Turquia, atual campeã paralímpica, por 8 a 4, resultados que deixaram o país precisando vencer na última rodada para passar de fase. Mas contra o atual campeão africano Egito, a seleção sul-americana deslanchou e goleou por 11 a 1.


Nas quartas de final, a seleção brasileira derrotou a China, medalhista de prata nas últimas três edições da Paralimpíada (Pequim 2008, Londres 2012 e Rio 2016), por 1 a 0 no segundo tempo da prorrogação em um jogo muito equilíbrio.

1 visualização0 comentário