• Daniele Jammal

Furto em joalheria é esclarecido pela DIG de Catanduva com suspeito preso na capital

Grupo criminoso composto por cinco pessoas furou parede do imóvel

Foto: POLÍCIA CIVIL - Foram apreendidos dinheiro, celulares e objetos que constituem parte do produto do furto


Da Reportagem Local

Policiais civis da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Catanduva esclareceram o crime de furto ocorrido no dia 15 de agosto em uma joalheria localizada no Centro da cidade, que resultou no prejuízo aproximado de R$ 120 mil em mercadorias.

Na data, por volta das 16h30, após arrombamento da parede dos fundos do estabelecimento comercial, cinco pessoas subtraíram dezenas de cheques de clientes, dinheiro, ouro e prata, joias, semijoias, relógios e o aparelho DVR contendo as imagens das câmeras de vigilância.

De acordo com a Polícia Civil, apurou-se que o grupo criminoso, constituído por cinco homens, fazendo uso de documentos falsos, alugou junto a uma imobiliária da cidade uma sala comercial situada ao lado do imóvel alvo do crime, a qual foi utilizada para facilitação do acesso à joalheria.

Fazendo buracos na parede que faz a divisa dos dois imóveis, os meliantes conseguiram ter acesso ao escritório da joalheria, de onde subtraíram os objetos e valores.

A DIG iniciou investigação instaurando inquérito policial, que levou à identificação de um dos envolvidos, tratando-se F.C.B.S., 43, morador de São Paulo.


O delegado titular da DIG dirigiu representação ao Poder Judiciário, solicitando a decretação da prisão temporária do suspeito, bem como expedição de mandado de busca e apreensão.

Após sua regular expedição, os mandados foram cumpridos na manhã de ontem (26) por policiais da DIG de Catanduva, sob coordenação de Eder Galavoti Rodrigues, delegado seccional de polícia em exercício da Delegacia Seccional de Catanduva, com apoio de policiais do DOPE – Departamento de Operações Policiais Estratégicas de São Paulo.

O alvo da diligência foi preso e em seu apartamento localizado na região do bairro Santa Efigênia foram apreendidos dinheiro, celulares e objetos que constituem parte do produto do furto.

O preso será submetido a exame de corpo de delito e encaminhado à Cadeia Pública de Catanduva, onde deverá cumprir prisão temporária de 5 dias decretada pela Justiça.


As investigações seguem seu curso com o objetivo de identificação dos demais integrantes da organização criminosa, bem como a participação do grupo criminoso em dezenas de outros crimes praticados em Catanduva e em diversas cidades do Estado de São Paulo.


101 visualizações0 comentário