• Daniele Jammal

Em novo decreto, Padre Osvaldo abre caminho para construção do bairro Nova Catanduva III

Prefeito declarou parte do loteamento como área de interesse social


Bairros Nova Catanduva I e II foram inaugurados em 2015 e 2017, respectivamente, com problemas de acesso e falta de vagas na creche


Guilherme Gandini

Editor-Chefe


O prefeito Padre Osvaldo (PSDB) declarou de interesse social 1.338 lotes residenciais que compõem parte do novo loteamento Nova Catanduva III. Eles serão enquadrados no Programa Casa Verde Amarela – Faixa II. Ficaram excluídos do programa 304 lotes destinados ao uso misto residencial/comercial, totalizando 1.642 unidades no bairro.


O decreto sobre o tema foi publicado no Diário Oficial do Município, na edição de segunda-feira (12), com números das quadras e dos lotes de interesse social.


O empreendimento dá sequência aos investimentos feitos na gestão do ex-prefeito Geraldo Vinholi (PSDB), quando foram implantados o Nova Catanduva I e II naquela mesma região da cidade. O terceiro núcleo acabou paralisado durante o governo do ex-prefeito Afonso Macchione Neto.


“Pudemos em seis meses liberar 12 bairros, novos loteamentos, estamos com outros 15 tramitando. São empresas grandes que estão vindo para Catanduva. Eles têm pesquisas e, se estão investindo em Catanduva é porque sabem que a cidade vai crescer e tem um mercado satisfatório”, celebrou o prefeito Padre Osvaldo, em entrevista a O Regional.


O Nova Catanduva I foi inaugurado em 2015 e possui 1.237 moradias. Já o Nova Catanduva II foi entregue em 2017 com 620 residências.


Um dos pontos mais polêmicos do conglomerado de bairros, na região do Gabriel Hernandez e Imperial, foi a existência de um único acesso por cima da rodovia Comendador Pedro Monteleone. O caso obrigou a Prefeitura a firmar um TAC – Termo de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público, na gestão Macchione, com prazo para executar uma nova via de acesso. O trecho foi liberado no final do ano passado.


A falta de vagas nas escolas das proximidades também forçou o poder público a transportar os alunos para outras unidades de ensino. A solução veio com a construção de uma escola no Nova Catanduva II, com recursos do Estado, para ampliar vagas.


A reportagem de O Regional questionou a Prefeitura sobre os investimentos no bairro, meios de acesso e se estão previstos equipamentos públicos para atender os moradores, tal como escolas e unidade de saúde – ou se as existentes precisarão suprir a demanda. Até o fechamento desta edição, não houve resposta.







Olho: 1.338 lotes do empreendimento serão enquadrados no Programa Casa Verde Amarela

1,404 visualizações0 comentário