• Daniele Jammal

Centro Covid fecha no fim de semana apesar de contratos milionários

Cogestora recebe mais de R$ 4 milhões mensais para gerir unidades de saúde, UPA e Pronto Atendimento do Postão




A Prefeitura de Catanduva está mantendo o Centro de Atendimento Covid-19 fechado aos finais de semana, apesar do recente aumento de 11% nos contratos milionários com a Associação Mahatma Gandhi, que gerencia o local, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e o Pronto Atendimento instalado no Centro de Saúde Dr. José Perri, o Postão.


De acordo com informações obtidas pela reportagem de O Regional no Portal da Transparência, a cogestão da UPA envolve contrato de R$ 1,255 milhão, que foi elevado para R$ 1,770 milhão devido ao aumento do quadro de profissionais, medicamentos, gases medicinais e outros custos para manutenção da unidade e do antigo Postão.


Além desse, a Prefeitura destina mais R$ 2,3 milhões mensais à mesma organização para gestão das unidades de saúde, vacinação contra a Covid e outros serviços. A esse contrato também foram acrescidos, recentemente, os custos de locação de 14 veículos para transporte de pacientes. Somados, os valores superam R$ 4 milhões ao mês.


Apesar disso, a realização de testes Covid para pacientes com sintomas aos sábados e domingos continua restrita. A reclamação foi feita por um munícipe que preferiu não se identificar depois de não conseguir realizar o teste na UPA, na manhã de sábado.


Questionada, a Secretaria Municipal de Saúde afirmou que a realização do teste de antígeno feita na UPA, após o terceiro dia de sintomas, mas reconheceu que o teste tipo RTPC não é oferecido aos finais de semana por limitações técnicas.


“A Vigilância Sanitária tem dias específicos para receber o exame, já que as amostras não podem ficar muito tempo armazenadas”, esclareceu Natália Costa, diretora do Departamento de Vigilância em Saúde.


Segundo o setor, o cidadão é orientado a procurar pela unidade de saúde do seu bairro ou o Centro Covid de segunda a sexta-feira, para realizar o teste. Já a UPA, esclarece a diretora, deve ser destino de que apresentar sintomas mais acentuados.


“Lembrando que se a pessoa está com sinais e sintomas, a avaliação clínica é soberana ao exame. O isolamento e a conduta médica são adotadas independente do resultado do exame”, pontua.


Da Reportagem

1 visualização0 comentário