• Daniele Jammal

Catanduva fica de fora da lista de sedes do Festival Paralímpico Brasileiro

Cidade possui centro de inclusão social com estrutura que é referência

Foto: PREFEITURA DE CATANDUVA - Centro Mauro de Moura recebeu mais de R$ 1,5 milhão em investimentos


Guilherme Gandini

Editor-Chefe

O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), por meio do departamento Desporto Escolar, divulgou esta semana os municípios que sediarão a 3ª edição do Festival Paralímpico Loterias Caixa, que tem como objetivo promover a experimentação esportiva a crianças com e sem deficiência. O evento será realizado em 70 cidades brasileiras, mas Catanduva não foi contemplada.

O festival é destinado a crianças de 8 a 17 anos, com e sem deficiência. Assim como em 2019, a programação oferecerá três modalidades por sede. A intenção é mobilizar pessoas com deficiência em todo o território brasileiro por meio das atividades físicas.

A primeira edição do evento, em 2018, foi realizada em 48 cidades com a participação de mais de 7 mil crianças. Em 2019, o evento teve 70 sedes e atendeu mais de 10.000 crianças. A edição de 2020 foi cancelada devido à pandemia de Covid-19.

Participaram da seletiva pessoas jurídicas de direito privado de natureza pública, tais como secretarias de esporte/cultura, institutos, escolas, associações que trabalham com pessoas deficientes, clubes que trabalham com pessoas com deficiência e universidades.

Em São Paulo, entre as 70 cidades contempladas pela competição estão Barretos, São José do Rio Preto e Ribeirão Preto.

A reportagem do Jornal O Regional questionou a Prefeitura de Catanduva se a administração do prefeito Padre Osvaldo (PSDB) cogitou ou tentou sediar o Festival Paralímpico Brasileiro, tendo em vista que o município dispõe de ampla estrutura na Coordenadoria de Inclusão Social. Não houve resposta até o fechamento desta edição.

CENTRO DE INCLUSÃO

Catanduva possui o Centro de Tecnologia e Inclusão Social Mauro de Moura, instalado no antigo prédio da AABB, na rua 15 de Novembro. O local foi estruturado durante o mandato do prefeito Afonso Macchione Neto e chegou a ser inaugurado em 2014, na gestão de Geraldo Vinholi (PSDB). O Centro recebeu mais de R$ 1,5 milhão em investimentos.


O espaço possui quadra esportiva coberta de tamanho oficial, piscina coberta e aquecida, sala de informática, academia ao ar livre adaptada para pessoas com deficiência física. Há, ainda, a Central Regional de Libras, com profissional intérprete e oferta de cursos na área.

9 visualizações0 comentário