• Daniele Jammal

Após redução no subsídio, ‘Casa Verde e Amarela’ precisa de reajuste, defende empresária

Novas medidas previstas pelo Governo Federal devem entrar em vigor em setembro

Foto: DIVULGAÇÃO - Empresária que atua há 12 anos com programa habitacional diz que revisão é urgente


Da Reportagem Local


Relatório realizado pela Secretaria de Avaliação, Planejamento, Energia e Loteria (Secap), atrelada ao Ministério da Economia, apontou que o governo federal diminuiu 45% em 2020 o subsídio ao programa Minha Casa Minha Vida (atual Casa Verde e Amarela). Em números, isso somou R$ 2,1 bilhões a menos para o programa.


Empresários da construção especializados no programa habitacional que já vêm sofrendo com a alta dos insumos apontam a necessidade de revisão e adequação. 


“A queda do subsídio de 2020 impacta diretamente na faixa 1 do programa. Famílias com renda mais baixa e com o sonho da casa própria são as mais afetadas”, afirma Cecilia Cavazani, sócio-diretora da Cavazani Construtora que, há 12 anos, atua na construção de apartamentos pelo programa.


A empresária destaca que o setor está ansioso por novas medidas ainda este ano. “O setor espera  que o Governo Federal corrija o subsídio, diminua os juros e aumente a renda das famílias para o novo patamar de valor dos imóveis, tendo em vista que a construção civil vem passando por uma alta de insumos muito grande e ficou inviável não aplicar no preço do imóvel. Nosso maior receio é que as famílias que necessitam desse programa habitacional e queiram comprar sua casa não consigam atingir esse objetivo pois o preço do imóvel pode desenquadrar o programa”.


Recentemente, durante o Fórum Norte-Nordeste da Indústria da Construção (FNNIC), o Ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, anunciou novas medidas para o programa habitacional Casa Verde e Amarela, que devem entrar em vigor na primeira semana de setembro. Para a empresária, esta é uma esperança de melhoria para o programa.


“O que esperamos é que, em setembro, o Governo Federal faça uma revisão no Casa Verde e Amarela, com os patamares e subsídios refeitos e renda das famílias revistas. Podemos até esperar uma possível queda de juros! Isso é extremamente necessário porque, com o aumento global nos custos das obras, fica impossível não repassar para o consumidor os valores. Quem perde com essa redução de 45% são as famílias que procuram um lar”, finaliza Cecilia.

21 visualizações0 comentário