Vereador questiona Artesp sobre suspensão de três linhas intermunicipais da Luwasa

Suspensão do serviço por 365 dias foi solicitada pela própria empresa

Vereador questiona Artesp sobre suspensão de três linhas intermunicipais da Luwasa

Foto: Dener Pontes - Três linhas da Viação Luwasa estão paralisadas desde o mês passado a pedido da empresa

Guilherme Gandini
Editor-Chefe

O vereador Gleison Begalli (PDT), presidente da Câmara de Catanduva, encaminhou ofício à Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) manifestando sua preocupação sobre a paralisação temporária de três linhas intermunicipais que eram atendidas pela Viação Luwasa.

A suspensão do serviço por 365 dias foi solicitada pela própria empresa e a Artesp abriu prazo de 15 dias para receber impugnações, reclamações, sugestões e novas propostas relacionadas aos pedidos. Segundo relatos de passageiros, os ônibus pararam de circular no mês passado.

As linhas suspensas interligam Catanduva e os municípios de Cajobi, Ibitinga e Novo Horizonte. “Estou preocupado com essa condição imposta ao transporte intermunicipal e principalmente com a situação dos trabalhadores que dependem diariamente do transporte coletivo para o acesso ao trabalho, a serviços médicos e serviços em geral”, declarou Gleison no documento.

Segundo o vereador, muitos trabalhadores, pais de famílias e cidadãos sofrerão “consequências inestimáveis com a ausência deste serviço público de natureza essencial”.

Diante do impasse, ele solicitou melhor avaliação do caso ao diretor geral da Artesp, Milton Roberto Persoli. “Solicitamos aos responsáveis por esta decisão que reflitam sobre os efeitos desta suspensão, uma vez que nossa população já vem sofrendo com outros percalços, além de afetar ainda mais a depreciada qualidade de vida de muitos cidadãos brasileiros”, frisou.

Em contato com O Regional, usuários das linhas já relataram dificuldades desde que o serviço foi suspenso. A reportagem tentou contato com o Grupo Expresso Itamaraty nos telefones disponíveis no site e também por e-mail. Não houve retorno até o fechamento desta edição.