Tribunal emite parecer desfavorável às contas da Prefeitura do exercício de 2019

Trata-se do período em que a gestão foi dividida entre Macchione e Marta

Tribunal emite parecer desfavorável às contas da Prefeitura do exercício de 2019

Foto: DIVULGAÇÃO - Ex-prefeita Marta assumiu a Prefeitura em maio de 2019

Guilherme Gandini
Editor-Chefe
Publicada em 25/09/2021

O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE) emitiu parecer desfavorável à aprovação das contas anuais do exercício de 2019 da Prefeitura de Catanduva. Trata-se do período em que a gestão foi dividida pelos prefeitos Afonso Macchione Neto e Marta Maria do Espírito Santo Lopes. Ela ocupou o cargo em 28 de maio daquele ano, após a cassação do empresário.

A decisão do TCE teve voto dos conselheiros Dimas Ramalho, presidente e relator, e Renato Martins Costa, e também do auditor substituto de conselheiro Valdenir Antonio Polizeli.

A Corte determinou, diante do parecer, a expedição de ofício à Prefeitura com recomendações e determinações constantes do referido voto, para que o atual gestor, prefeito Padre Osvaldo (PSDB), tome as medidas cabíveis. A Fiscalização avaliará tais providências futuramente, em avaliação in loco.

Determinou, ainda, a remessa de cópia do relatório da Fiscalização e do voto ao Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo, para ciência e eventuais providências sobre o Auto de Vistoria dos prédios municipais.

A reportagem do Jornal O Regional não obteve acesso ao inteiro teor do voto do relator, até o fechamento desta edição. Questionado, o ex-prefeito Afonso Macchione Neto afirmou que tomaria ciência e confirmou que irá recorrer da decisão.

Recentemente, a Câmara de Vereadores de Catanduva aprovou as contas de 2018 da gestão Macchione, que teve parecer favorável do Tribunal de Contas. O balanço referente ao último ano da administração Macchione e Marta, de 2020, ainda não foi apreciado pelo órgão.