Secretária de Saúde terá que ‘bater ponto’ nas sessões da Câmara até o fim da pandemia

Sabatina pública e semanal receberá contribuições populares por e-mail

Secretária de Saúde terá que ‘bater ponto’ nas sessões da Câmara até o fim da pandemia

Foto: DIVULGAÇÃO/FUNFARME - Cláudia Cosmo será obrigada a prestar contas todas as semanas no Legislativo

Guilherme Gandini
Editor-Chefe

A secretária municipal de Saúde de Catanduva, Cláudia Monteiro, e os futuros responsáveis pela pasta terão que prestar contas semanais durante as sessões ordinárias da Câmara de Vereadores. A obrigação está prevista em lei de autoria do vereador Luís Pereira, que foi sancionada pelo prefeito Padre Osvaldo, ambos do PSDB.

A sabatina pública e semanal receberá contribuições populares a partir de e-mail disponibilizado pela Casa de Leis a fim de que os munícipes encaminhem questionamentos sobre a pandemia do novo coronavírus.

Esperando grande volume de pedidos, a normativa prevê que “o presidente da Câmara indicará um servidor do quadro de funcionários para realizar a triagem e a sintetização dos questionamentos apresentados, devendo este impreterivelmente encaminhá-los para a Secretaria de Saúde um dia antes da realização das sessões ordinárias”.

O tempo reservado para a atividade será de, no máximo, 30 minutos, tempo em que a sessão permanecerá suspensa. A obrigatoriedade deverá ser mantida até o final da pandemia.

Ao defender sua proposta, o vereador Luís Pereira ressaltou sua importância. “A cada dia há a crescente evolução genética do vírus, como também uma crescente propagação do vírus. Toda e qualquer informação é de grande valia, pois a informação nos ajuda a enfrentar com mais sabedoria o momento pelo qual vivemos”, frisou.