RETROSPECTIVA MAIO: Casos de Covid-19 explodem em Catanduva e ocupação hospitalar chega a 155%

Confirmações da doença e mortes dobraram nos primeiros três meses do ano

RETROSPECTIVA MAIO: Casos de Covid-19 explodem em Catanduva e ocupação hospitalar chega a 155%

Foto: COMUNICAÇÃO/FPA - Hospitais passaram a operar acima do limite de capacidade

Myllaynne Lima
Da Reportagem Local
Publicado em 01/01/2022

O mês de maio foi marcado por índices assustadores do avanço do novo vírus, com alta de confirmações, internações e óbitos. A cidade alcançou rapidamente o patamar de 400 mortes pela doença no dia 25 – foram mais óbitos em três meses do que no ano anterior inteiro.

O Boletim Diário contabilizava, nessa data, 12.294 confirmações da doença, quase o dobro do que no primeiro dia do ano. O Hospital Emílio Carlos alcançou 143,3% de ocupação na UTI e 131,8% na Enfermaria. Na UTI do Hospital Unimed São Domingos, o índice era de 155%. Até mesmo a UPA ficou lotada, com 150% de leitos ocupados na UTI e 121,4% na Enfermaria.

Em paralelo, a vacinação prosseguia com o grupo de grávidas e puérperas com comorbidades

acima de 18 anos. Para esse grupo, foram disponibilizadas 200 doses da CoronaVac. Nas ruas, equipes de fiscalização intensificaram as rondas em bares e restaurantes no período noturno.

A retomada das aulas presenciais nas escolas municipais foi adiada. Foi mais um reflexo da alta taxa de contaminação pela Covid-19. A nova previsão foi traçada para 7 de junho, com redução no número de alunos e adoção de sistema de rodízio para garantir o distanciamento.

A escassez de chuva também foi alarmante. De acordo com a Superintendência de Água e Esgoto (SAEC), a última, com índice expressivo, havia sido em 6 de março. A autarquia divulgou alertas nas redes sociais pedindo o apoio da população para o consumo consciente de água.