RETROSPECTIVA JULHO: Começa a fase das flexibilizações rumo ao novo normal

Prefeitura começou a pagar R$ 2,2 milhões a ex-funcionários da Iapemesp

RETROSPECTIVA JULHO: Começa a fase das flexibilizações rumo ao novo normal

Foto: WANDER ROBERTO/COB - Velocista de Catanduva representou o país nas Olimpíadas de Tóquio

Guilherme Gandini
Editor-Chefe
Publicado em 01/01/2022

Superado o lockdown e diante da estagnação causada pela pandemia e as restrições econômicas, Catanduva iniciou o segundo semestre apostando suas fichas no avanço da vacinação e nas flexibilizações gradativas, rumo ao chamado “novo normal”.

Ao longo do mês, vários grupos foram convocados a se imunizar, começando pelas pessoas de 38 anos, no dia 6, e chegando até às de 28 anos, no dia 30. Segundo o Boletim Diário do Coronavírus, a cidade fechou o mês com 17.224 confirmações e 601 óbitos.

A Secretaria Municipal de Saúde alertou para o movimento reduzido nos postos de vacinação, e para o surgimento dos “sommeliers” da vacina. O órgão chegou a anunciar a adoção do termo de recusa, mas voltou atrás. Já a vacina contra a Influenza foi liberada para toda a população.

Quanto à flexibilização, a Prefeitura autorizou buffets e o atendimento presencial até as 23 horas, mantendo a restrições na madrugada. A Feira da Vila Celso também voltou a funcionar no dia 11. Nessa fase, bancos e lotéricas passaram a registrar filas e aglomerações.

Na política, o prefeito Padre Osvaldo editou decreto que abriu caminho para a implantação de um novo loteamento na região do Nova Catanduva. Em outro, autorizou uso da antiga base da PM, no Solo Sagrado, pela Associação Paulo de Tarso. O local estava abandonado.

A Prefeitura começou a pagar R$ 2,2 milhões em RPVs a ex-funcionários da Iapemesp, que administrou a UPA durante o mandato Vinholi e não honrou com compromissos trabalhistas. Enquanto isso, a Câmara contratou a Fipe para realizar a reforma administrativa interna.

Por fim, no esporte, o catanduvense Altobeli Silva representou o Brasil nas Olimpíadas de Tóquio. Medalhista no Pan 2019, ele garantiu vaga na delegação de atletismo para os 3.000 metros com obstáculos. A conquista olímpica, infelizmente, não veio.