Promessa do governador para 3ª faixa entre Catanduva e Pindorama completa 2 anos

Obra contemplaria rotatória no Pedro Nechar, antiga reivindicação dos moradores

Promessa do governador para 3ª faixa entre Catanduva e Pindorama completa 2 anos

Foto: GOVERNO DE SÃO PAULO - Governador esteve em Catanduva há 2 anos para inaugurar o HCC

Guilherme Gandini
Editor-Chefe

Há exatos dois anos, em 14 de setembro de 2019, o governador João Doria (PSDB) esteve na região para inaugurar o serviço de Radioterapia do Hospital de Câncer de Catanduva e o Centro de Convivência do Idoso de Pindorama e prometeu a construção da terceira faixa da rodovia Alfredo Jorge Abdo, que liga os dois municípios.

Apesar de percorridos mais de 700 dias daquela data festiva, a estrada continua a mesma e sem qualquer indício de que as obras estejam para começar. Ele também anunciou nova etapa para a construção do novo Fórum de Catanduva – outro fato que não aconteceu.

Embalados pelo anúncio de Doria, o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, o vereador Luís Pereira, o ex-prefeito Geraldo Vinholi e a ex-prefeita de Pindorama Maria Inês foram à rodovia, um mês depois, para reforçar o discurso e posar para fotos.

O anúncio da terceira faixa entre Catanduva e Pindorama, mesmo sem atender diversos pedidos de duplicação feitos por políticos da região ao longo dos anos, satisfez os usuários do trecho e, sobretudo, moradores dos bairros Pedro Nechar, Pedro Boso, Vilarinho e Jardim Oriental.

Os bairros são os mais prejudicados pela não realização das obras, devido ao risco constante de acidentes nos cruzamentos sobre a via para acesso aos loteamentos – sem rotatória ou qualquer dispositivo de segurança. A construção de uma rotatória no local, reivindicação antiga da população, tornou-se, inclusive, alvo de embate durante a campanha eleitoral do ano passado.

“Há mais de 20 anos resido no Pedro Nechar, onde convivemos diariamente com a insegurança de chegarmos vivos em casa. Nossas crianças que vão pra escola pública em ônibus escolar cruzam esse trevo todos os dias correndo risco de acidentes já que a visibilidade é péssima”, critica Fernando Veteri, que reside no local há 22 anos.

Veteri relembra que, além da promessa feita pelo governador, o atual prefeito Padre Osvaldo (PSDB) também prometeu a rotatória e a terceira faixa. “O secretário Marco Vinholi, por telefone, também me fez a promessa de que a obra sairia, só não disse se ela volta um dia”, ironiza.

“Essa lenga lenga está cansando. Lembro da última vez que impedimos o trânsito na rodovia, tacamos fogo em pneus contra as várias mortes e dezenas de feridos vítimas de acidentes de trânsito. O bairro só é lembrado por políticos na época de eleições, depois somem. Uns nem sabem onde o bairro fica e perguntam se pertence a Catanduva. Estão querendo que o povo se rebele, só pode”, ameaça Veteri.

A reportagem do Jornal O Regional questionou o Governo do Estado sobre a licitação para realização da obra, motivos da demora, previsões e outros detalhes. Não houve resposta até o fechamento desta edição.