Projeto ‘Semáforo Verde’ facilita fluxo de viaturas do Samu e bombeiros em Catanduva

Equipes receberam tags que vão liberar sinal verde nos principais cruzamentos

Projeto ‘Semáforo Verde’ facilita fluxo de viaturas do Samu e bombeiros em Catanduva

Foto: DIVULGAÇÃO - Quando o sinal estiver vermelho e uma viatura de urgência se aproximar, o dispositivo eletrônico será acionado e a passagem será liberada

Myllaynne Lima
Da Reportagem Local

A Prefeitura de Catanduva implantou o projeto ‘Semáforo Verde’, que libera automaticamente e com segurança nos principais cruzamentos da cidade, a passagem das viaturas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – Samu e Corpo de Bombeiros.

Na prática, quando o sinal estiver vermelho e uma viatura de urgência se aproximar, automaticamente o dispositivo eletrônico será acionado. “O objetivo desse projeto foi garantir a segurança dos condutores porque o acionamento do semáforo vai proporcionar a travessia em sinal verde e também oferecer um atendimento mais eficiente à equipe dos Bombeiros e Samu”, explica João Paulo Machado, diretor da Secretaria de Trânsito e Transportes Urbanos (STU).

As equipes dos bombeiros e Samu receberam tags semafóricos. “Na prática, o sistema tag é acionado a partir do momento da leitura da ficha, as antenas estão instaladas a 100 metros do cruzamento. A partir do momento que a viatura se aproximar a leitura é feita, o ciclo da fase do semáforo que estiver em aberto é interrompido com segurança de seis segundos, abrindo a fase que foi acionada o tag, proporcionando vinte segundos de verde para que a viatura e os condutores possam passar com segurança”, complementa João.

O diretor da STU comenta sobre a estrutura que foi montada para a instalação da nova ferramenta. “Houve todo um preparo, tanto para a instalação dos controladores quanto para a implantação das antenas. Em cada cruzamento foi instalado mais de 100 metros de cabeamento para poder fazer essa leitura.”

A reportagem do Jornal O Regional solicitou à Prefeitura o valor investido no projeto e se há custeio mensal para o serviço, mas não obteve resposta até o fechamento desta edição.