Prefeitura pagará R$ 3,9 milhões, quase o máximo previsto, para comprar notebooks e projetores

Após impasse no Tribunal de Contas, contrato será assinado com duas empresas

Prefeitura pagará R$ 3,9 milhões, quase o máximo previsto, para comprar notebooks e projetores

Foto: O REGIONAL - Escola Carlos Spina, no Jardim Eldorado, montou sala de informática com computadores doados pela comunidade

Guilherme Gandini
Editor-Chefe
Publicado em 03/12/2021

A Prefeitura de Catanduva homologou a licitação para aquisição de notebooks e projetores multimídia para as escolas municipais. O contrato terá quase o valor máximo previsto em edital: R$ 3,9 milhões. O processo chegou a ser questionado no Tribunal de Contas do Estado (TCE) por possível direcionamento, foi revogado e depois reaberto pelo poder público em novembro.

O valor ofertado pelas licitantes ficou apenas R$ 41,4 mil abaixo do teto, que estava estimado em R$ 4 milhões.

Serão adquiridos 350 notebooks da A3 Infotech Comércio e Prestação de Serviços e Informática, de São Bernardo do Campo, ao preço total de R$ 2,240 milhões. Cada unidade custará, portanto, R$ 6,4 mil aos cofres públicos.

Para o mesmo número de projetores, a Prefeitura pagará R$ 1,743 milhão à Informática Da Fonte Comércio e Serviços, de Araraquara, ou seja, cerca de R$ 4,9 mil cada um.

Pelo acordo proposto, a Secretaria Municipal de Educação emitirá o pedido ao fornecedor indicando quantidades. O prazo para entrega de cada pedido será de 25 dias úteis. Durante o prazo de garantia, o fornecedor será responsável pelo suporte técnico, com prazo de 48 horas para cada chamado aberto. O contrato terá vigência de 12 meses.

O notebook descrito no edital tem microprocessador de 11ª geração, mínimo 6 MB de cache, memória RAM de no mínimo 4 GB DDR4, sistema de áudio e som estéreo, webcam integrada e microfone embutido, com bluetooth, leitor de impressão digital, sistema operacional Linux Ubuntu, entre muitas outras exigências, além da garantia e assistência técnica de 12 meses.

Já o projetor multimídia deverá ter projeção com tecnologia DLP, saída de luz de 4 mil ansi lumens, com opções para montagem frontal, retro projeção ou pendurado no teto. A garantia será de 24 meses para peças de reposição e 12 meses ou 1.000 horas para lâmpada.

O Jornal O Regional questionou a Secretaria Municipal de Educação de que forma os novos equipamentos serão utilizados nas escolas. Não houve resposta até o fechamento desta edição.