Prefeitura nega ter contemplado artista de Rio Preto, mas sugere denúncia formal

Perfil da artista nas redes sociais indica moradia na cidade vizinha

Prefeitura nega ter contemplado artista de Rio Preto, mas sugere denúncia formal

Foto: PREFEITURA DE CATANDUVA - Prefeito e secretária de Cultura assinaram contratos esta semana

Guilherme Gandini
Editor-Chefe

A Prefeitura de Catanduva negou, em resposta ao Jornal O Regional, que tenha contemplado agente cultural de fora da cidade com recursos remanescentes da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc. Em denúncia feita por artistas locais, uma das pessoas contempladas residiria em São José do Rio Preto, inclusive demonstrando isso em seu perfil nas redes sociais.

“Para habilitação é necessário provar residência atual e há mais de dois anos no município. Todos comprovaram através de documentação, inclusive a citada, pois é requisito necessário”, afirmou a Secretaria Municipal de Cultura, negando ter conhecimento da acusação.

Questionada sobre quais medidas serão tomadas diante da denúncia feita pela reportagem, com envio da imagem obtida nas redes sociais com indicação de residência em outro município, a secretaria afirmou depender de denúncia formal para tomar qualquer atitude.

Artistas de Catanduva também reclamam a O Regional que integrantes de grupos musicais, já beneficiados no ano passado, apresentaram projetos com nomes de outros proponentes, de forma a burlar a proibição de que a mesma banda seja contemplada em dois anos seguidos.

Os contratos dos novos contemplados foram assinados na terça-feira, dia 14, em cerimônia que teve a presença do prefeito Padre Osvaldo (PSDB), da secretária de Cultura, Luzia Girade, artistas e representantes dos espaços selecionados.

Ao todo, oito espaços culturais foram classificados pela Chamada Pública, enquanto 27 artistas foram atendidos pelo Edital de Incentivo às Artes, direcionado aos projetos culturais. A relação dessa e de todas as etapas foi publicada na Imprensa Oficial.

O auxílio financeiro proporcionado aos agentes e espaços culturais utilizou saldo de R$ 221 mil dos recursos federais recebidos para essa mesma finalidade no ano passado.