Prefeitura faz intervenção no Imes e nomeia professor Paulo Marques como diretor

Professora Maria Lúcia renunciou ao cargo de diretora após sete anos

Prefeitura faz intervenção no Imes e nomeia professor Paulo Marques como diretor

Foto: DIVULGAÇÃO / IMES - Professora Maria Lúcia fez carreira na instituição desde 1987

Guilherme Gandini
Editor-Chefe
Publicado em 29/09/2021

A professora Maria Lúcia Miranda Chiliga não é mais a diretora do Instituto Municipal de Ensino Superior, o Imes Catanduva, depois de sete anos no principal cargo da instituição. Ela renunciou na segunda-feira, 27, em meio à intervenção informal da Prefeitura de Catanduva.

Servidora pública efetiva desde 1987, ela atuou ao longo de 27 anos como secretária geral do Imes/Fafica, assumiu como vice-diretora em 2013 e tornou-se diretora em agosto de 2014.

Em entrevista ao Jornal O Regional, a educadora disse ter se aposentado em janeiro, mas continuado no cargo a fim de cumprir o período de transição da nova gestão.

“Apresentei ao prefeito os problemas da instituição e mostrei que ela exige dedicação diuturna, e sugeri meu afastamento para cuidar de problemas familiares e desenvolver outros projetos”, relatou.

Maria Lúcia disse confiar na condução que Padre Osvaldo dará para o Imes, com “novos ares” e viés empreendedor.

“Eu amo o Imes e só tenho gratidão a essa instituição onde desenvolvi todo o meu trabalho e fiz minha carreira desde 1987. Agora passo o bastão para a Prefeitura dar continuidade da melhor forma possível”.

O desligamento de Maria Lúcia foi anunciado pelo prefeito em vídeo nas redes sociais, já com a apresentação do diretor interino Paulo Marques, que assumirá a função no dia 1º de outubro.

“Desde o início da gestão, conversando com a diretoria, funcionários, buscando alternativas para recuperar essa importante instituição que tem história consolidada em Catanduva. Há cerca de 30 dias, intensificamos levantamentos e a nossa aproximação com a equipe de trabalho. Nesse contexto, tivemos a formalização da renúncia da diretora Maria Lúcia, além disso a professora Vera, coordenadora de graduação, não poderá assumir a direção por motivos pessoais”, anunciou, fazendo referência à educadora Vera Lúcia Massoni Xavier da Silva.

Diretor interino, Paulo Marques é consultor empresarial, administrador de empresas, tem formação em Administração de Empresas, Matemática e em Ciências Físicas e Biológicas, pós-graduado em Administração de Recursos Humanos e mestre em Desenvolvimento Regional e Sustentabilidade.

“Minha experiência profissional sempre foi em empresas, na gestão empresarial. Trabalhei em empresas multinacionais, como a iTelefônica, empresa de economia mista, como a Telesp, empresa de agronegócio, sempre trabalhando na gestão administrativa”, resumiu o gestor.

Marques agradeceu a confiança do prefeito em seu trabalho. “Quero junto com a família Imes/Fafica dar continuidade a esse trabalho que está sendo desenvolvido lá, buscando soluções viáveis para que essa universidade possa se desenvolver e crescer, para criar oportunidade par que os nossos filhos possam continuar aqui em Catanduva, buscando a sua graduação e sua qualificação. Para isso conto com toda a comunidade catanduvense para que essa marca Imes/Fafica que é uma marca de coração de Catanduva, possa continuar e prevalecer.”

LISTA TRÍPLICE

A Prefeitura de Catanduva foi questionada pela reportagem do Jornal O Regional sobre os trâmites para nomeação do novo diretor, se foi uma escolha da administração municipal, e se a lista tríplice que deveria ser elaborada pela Congregação do Imes, conforme regimento interno da instituição, será respeitada para a nomeação definitiva do novo diretor.

Com base no documento, os candidatos a diretor e vice-diretor do Imes têm seus nomes apreciados pela Congregação, que faz eleição interna para compor uma lista tríplice com os mais votados. A relação é encaminhada ao prefeito para escolha e nomeação do diretor.