Prefeitura faz contrato de R$ 2 milhões para plantio de grama em licitação sem concorrência

Com a metragem total seria possível cobrir mais de 20 campos de futebol

Prefeitura faz contrato de R$ 2 milhões para plantio de grama em licitação sem concorrência

Foto: REPRODUÇÃO - Contrato prevê plantio das placas de grama em 90 mil metros quadrados

Guilherme Gandini
Editor-Chefe
Publicado em 06/11/2021

A Prefeitura de Catanduva homologou a Concorrência nº 09/2021 para registro de preços para fornecimento e plantio de grama para as secretarias municipais. A única empresa participante foi a Xulabeika Mudas Frutíferas e Ornamentais, da cidade de Colina. Sem concorrência, o contrato foi celebrado no valor de R$ 2 milhões, teto máximo estimado no processo licitatório.

A abertura das propostas iniciais foi realizada no dia 31 de agosto. A licitante teve parecer favorável quanto à qualificação técnica e foi habilitada para prosseguir no processo em 17 de setembro. Superados os prazos recursais, a proposta financeira foi conhecida no dia 28 do mesmo mês. A classificação final foi divulgada no dia 22 de outubro.

De acordo com o edital, será fornecida grama Esmeralda e São Carlos, mais o preparo do solo e plantio das placas. A contratada deverá disponibilizar veículos, ferramentas, equipamentos, EPI’s e pessoal em quantidade suficiente, adequados e compatíveis para execução dos serviços. A gestão do contrato será da Secretaria de Meio Ambiente e Agricultura.

Com a contratação, a Prefeitura poderá comprar até 90 mil metros quadrados de cada tipo de grama: a Esmeralda sairá por R$ 6,52 o metro e a São Carlos a R$ 6,79.

A mão de obra para preparo do solo e execução do serviço, porém, estará limitada a 90 mil metros quadrados. As aquisições poderão ser feitas mediante à necessidade da administração pública.

Com os 180 mil metros quadrados de grama previstos em contrato, segundo comparativo traçado pela reportagem do Jornal O Regional, a Prefeitura conseguiria cobrir mais de 20 campos de futebol nas medidas oficiais.

SEM RESPOSTA

A reportagem questionou a Seção de Licitação da Prefeitura sobre a falta de competitividade na licitação e se o procedimento não deveria ter sido refeito de forma a estimular a concorrência. Não houve resposta até o fechamento desta edição.