Prefeitura e IPMC firmam acordo de parcelamento de R$ 4,8 milhões referente ao dissídio de 2015

Dívida foi parcelada em 36 meses após autorização da Câmara

Prefeitura e IPMC firmam acordo de parcelamento de R$ 4,8 milhões referente ao dissídio de 2015

Foto: ARQUIVO PESSOAL - Diretor do IPMC diz que parcelamento com correção e juros atende a meta da autarquia

Guilherme Gandini
Editor-Chefe

A Prefeitura de Catanduva e o Instituto de Previdência dos Municipiários de Catanduva assinaram novo termo de acordo de parcelamento e confissão de débitos previdenciários. O processo se refere às contribuições patronais correlatas ao dissídio de 2015 dos servidores municipais, cujas dívidas foram quitadas pela administração municipal no mês passado.

De acordo com extrato publicado no Diário Oficial do Município nesta segunda-feira, dia 19, a dívida foi parcelada em 36 meses, com valor global de R$ 4.868.583,08. A esse montante ainda serão somados juros de 0,5% ao mês e correção monetária pelo IPCA.

De acordo com o diretor superintendente do IPMC, Edson Andrella, o parcelamento foi autorizado pela Câmara de Vereadores pela lei municipal nº 6.184, de 2 de julho de 2021 e também pelos conselheiros da autarquia.

“É um parcelamento que não causa nenhum dano ao IPMC, uma vez que as parcelas vão ser pagas com correção monetária e juros, o que corresponde à meta que o IPMC deve perseguir para os seus investimentos”, explicou Andrella em entrevista concedida na semana passada.

As dívidas do dissídio deixadas pelo ex-prefeito Geraldo Vinholi, em 2015, englobaram quase R$ 30 milhões em valores ao funcionalismo e mais R$ 5,2 milhões referentes à diferença do cartão alimentação dos servidores, além dos mais de R$ 4,8 milhões do IPMC.