Por segurança, Prefeitura proíbe velórios durante a madrugada em Catanduva

Decisão teria sido tomada em reunião entre representantes das funerárias locais

Por segurança, Prefeitura proíbe velórios durante a madrugada em Catanduva

Foto: Catanduva Web - Agora, velórios do município só podem funcionar das 6h às 22h

Guilherme Gandini
Editor-Chefe
Publicado em 28/12/2021

Os velórios públicos e particulares de Catanduva não podem mais funcionar no período da madrugada. A decisão teria sido tomada em reunião entre as funerárias do município e formalizada em decreto publicado pelo prefeito Padre Osvaldo (PSDB) na semana passada.

Pela nova norma, o funcionamento dos velórios públicos e particulares do município passa a ser autorizado no período das 6h às 22h, de segunda-feira a domingo, ficando fechados após esse limite. Já os sepultamentos podem ser feitos das 7h às 18h, salvo em casos excepcionais.

Durante o período de fechamento, o traslado do corpo é de responsabilidade da empresa funerária contratada para o velório e sepultamento. As novas regras já estão em vigor.

Questionada pelo Jornal O Regional, a Prefeitura informou que a decisão não tem relação com a pandemia do coronavírus, mas sim à segurança pública. É também, segundo a administração municipal, uma conduta de respeito às famílias em luto.

Em áudio encaminhado à reportagem por um representante da Empresa Funerária Municipal, a reunião focou a questão da segurança. “O que foi frisado bem é em relação à segurança, porque já teve ocorrências na madrugada de roubo de veículo”. Também teriam pesado os pedidos das famílias que entendem que o velório ao longo da madrugada prolonga o sofrimento.

Para o gestor da Funerária e Cemitério Monsenhor Albino, José Luís Marcos Esteves, a mudança é uma quebra de paradigmas e favorece a segurança das famílias. “Não gosto da coisa imposta da forma como ficou, mas é realmente perigoso à noite, já presenciamos pessoas estranhas, roubos, e não há efetivo policial para garantir a segurança necessária”.

Esteves diz que, mesmo antes da pandemia, algumas famílias já pediam para o velório ser encerrado no fim da noite, para ser retomado pela manhã, mas os horários eram definidos livremente. “O velório à noite só aumenta o sofrimento, fica vazio, ficam apenas duas ou três pessoas com sono, sofrendo, o descanso em casa é mais reconfortante”, completa.

Já o cirurgião dentista José Fernando Alves Bernardino, proprietário da Funerária Caminho de Luz, afirma ser contrário à medida. “Falando como profissional de saúde e proprietário, entendo que, se não há patologias envolvidas, deveríamos voltar ao cenário de antes da pandemia”, diz.

Ele defende a liberdade de escolha da família, até em função do horário do óbito, e relembra que há uma série de percalços que reduzem o tempo – como a preparação do corpo e registro em cartório. “É uma questão de respeito à última despedida. Essa decisão se encaixa bem nas grandes cidades. Aqui, felizmente, não temos esse alto risco, a Guarda Municipal poderia monitorar”.