PENEIRA FINA – 12/01/2022

Coluna – QUARTA-FEIRA

PENEIRA FINA – 12/01/2022

CONTAMINAÇÃO

É fato. Não precisa divulgar dados oficiais, pois a informação da vida real está aí escancarando os problemas do nosso dia a dia, do nosso cotidiano. A onda de contaminação que assola o mundo, o país e o estado, também atinge a nossa cidade. Em cada conversa com amigos, familiares, a cada dia é descoberto um, dois, três ou mais casos de Covid-19. Os aplicativos de mensagens estão servindo para avisar: “sabe o fulano que estava conversando com a gente no domingo? Pois bem, deu positivo para a Covid, se cuida.” E por aí vai...

CONTÁGIO

Observa-se que, na questão do contágio, estamos vivendo uma epidemia sem limites. No momento, não existe um freio que consiga parar isso. Para alguns “entendidos do zap”, estamos vivendo não a imunidade de rebanho, mas sim o “contágio de rebanho”. Algo assustador.

IMUNIDADE DE REBANHO

Também chamada de imunidade de grupo e imunidade coletiva, a imunidade de rebanho consiste em atingir um ponto em que há uma quantidade suficiente de pessoas imunes ao vírus, interrompendo a transmissão comunitária. E, com menos indivíduos suscetíveis ao vírus, ele iria aos poucos deixando de circular. Porém, vale destacar que a proteção é pensada junto com o uso de vacinas, algo fundamental para qualquer imunidade que seja projetada.

FALTOSOS

Falando em vacina, matéria publicada neste matutino na edição de ontem mostra que cerca de 4 mil pessoas ainda não tomaram a segunda dose da vacina contra a Covid-19, em Catanduva. Os dados são da Secretaria Municipal de Saúde. Atualmente, Catanduva utiliza como intervalo padrão 28 dias entre as doses da CoronaVac, oito semanas entre doses da Fiocruz e 21 dias entre as aplicações da Pfizer. As pessoas com mais de 18 anos que tomaram a última dose do esquema vacinal há pelo menos cinco meses estão aptas a tomar a dose adicional. Já para adolescentes de 12 a 17 anos, o intervalo entre a primeira e a segunda doses foi reduzido para 21 dias.

PODE FICAR PIOR

Para quem pensa que a situação já está terrível e não pode ficar pior, eis que a Secretaria Municipal de Saúde emitiu nota na tarde de ontem comunicando que “a vacinação contra covid-19 será interrompida, temporariamente, na manhã desta quarta-feira, dia 12, por falta de doses. A previsão é de que o atendimento seja normalizado na tarde do mesmo dia, por volta das 12 horas, devido à reposição do estoque de vacinas, prevista para a ocasião”. Na reunião na Câmara da última segunda-feira, a secretária informou que o estoque de vacina contra a gripe Influenza está esgotado.

SEM EXAMES

Na tarde de ontem, alguns laboratórios da cidade estavam sem testes rápidos para Covid-19. Segundo uma das atendentes, “houve um ‘boom’ na procura pelos exames, surpreendendo a empresa”. Entre hoje e amanhã, os estoques já devem estar sendo repostos.

ÉRAMOS 11

Na coluna de ontem, citamos que foi realizada na tarde de segunda-feira na Câmara Municipal uma reunião solicitada pela Comissão de Saúde, Educação, Cultura e Assistência Social da Câmara. Falamos que estavam 12 edis, mas na verdade, estiveram presentes 11 vereadores (Ivan Bernardi e Belê estavam ausentes). A secretária de Saúde, Cláudia Monteiro, o chefe de Gabinete do Executivo, Fernando Martins de Sá e demais técnicos da Saúde também marcaram presença.

PROFESSORES VACINADOS

Na reunião de segunda-feira, os parlamentares sugeriram que o prefeito Padre Osvaldo (PSDB) faça um decreto municipal no qual “não vacinados”, principalmente professores, não exerçam a profissão até que sejam imunizados contra a Covid-19. Já há um decreto estadual neste sentido. Também citaram a necessidade de reativar o Centro de Saúde Dr. José Perri (Postão da rua Pará) e o Centro de Atendimento à Covid-19, que funcionou na rua Rio de Janeiro.

GABARITO

Ontem, a SAEC - Superintendência de Água e Esgoto de Catanduva divulgou o gabarito oficial das provas objetivas realizadas no último domingo. O edital pode ser acessado no site da autarquia ou nas páginas virtuais do Diário Oficial do município.

CALDO DE GALINHA

Já que estamos em ano de eleição, os po,líticos mudam suas atitudes. O governador João Doria (PSDB) descartou, ontem, a necessidade de qualquer medida de fechamento ou restrição de comércio, serviços e setor produtivo do agronegócio ou da indústria neste momento de avanço da variante ômicron. Até aqui, não há restrições previstas, apenas cautela, segundo ele.

REDUÇÃO DE HORÁRIO

O Sindicato dos Comerciários de São Paulo vai enviar às entidades patronais nesta semana um comunicado para apoiar a proposta de redução no horário de abertura das lojas de shoppings neste momento de alta contaminação pela variante ômicron. O pensamento é: antes reduzir, do que fechar...

A FRASE

“Não acredite em tudo que ouvires! Há mentiras que sempre serão ditas, e verdades que jamais serão pronunciadas.” (Eliane Azevedo, autora e cronista)