PENEIRA FINA – 09/09/2021

Coluna – QUINTA-FEIRA

PENEIRA FINA – 09/09/2021

FOCOS DE INCÊNDIO

Ontem a cidade de Catanduva e região foram alvos de diversos focos de incêndio, seja em virtude do clima seco que prevalece, ou por pessoas irresponsáveis que colocam fogo na mata. Além de uma coloração amarelada na cidade, em virtude da fumaça, o clima era igual a de um deserto, sendo muito baixa a umidade relativa do ar e a sensação térmica muito alta. As crianças e os idosos são os que mais sofrem com isso.

FOGO

Na cidade, focos de incêndio foram registrados na vegetação nativa próximo ao bairro Gabriel Hernandez, atrapalhando bastante os motoristas que dirigiam pela rodovia Comendador Pedro Monteleone, a Rodovia da Laranja. A fumaça atingiu todos os bairros, mas principalmente os moradores do Gabriel, do Jardim Imperial e Nova Catanduva.

CATIGUÁ

Ontem também, a vizinha cidade de Catiguá estava em chamas. Focos de incêndio foram registrados em diversos pontos do município e da cidade. O fogo chegou próximo do muro da escola Antônio Carlos, obrigando a suspensão de aulas e a dispensa dos alunos no período da tarde. A movimentação de caminhões-pipa das usinas pelas ruas da cidade era intensa. Diversos moradores estavam nas ruas, observando as colunas de fumaça, sem acreditar no que estava acontecendo. A cidade de Pirangi também foi atingida por focos de incêndio.

PROFESSORES FICAM

Interessante ressaltar que, em Catiguá, os alunos foram dispensados das aulas na escola, porém a Diretoria Regional de Ensino de Catanduva não liberou/dispensou os professores no período, fazendo com que os mesmos permanecessem. Será que os professores têm uma camada protetora contra fogo e fumaça? Alô, Apeoesp....

QUENTE

Ontem, a sessão da Câmara prometia ferver, principalmente pela inclusão do projeto de lei complementar que altera atribuições e nomenclaturas de 157 cargos em comissão de livre provimento, de chefias e de encarregados de forma a atender exigência da Justiça. O projeto foi enviado pela Prefeitura, alegando que tem como objetivo evitar a exoneração em massa. Com o início da sessão no final da tarde e início de noite, as informações sobre os bastidores, o leitor (a) confere aqui, na edição de amanhã.

PRÉ-VIAGEM

Na madrugada de segunda para terça-feira, antes da partida dos ônibus do grupo liderado pelo empresário João Cesar Moraes, foi realizado na praça do Colegião, um ato patriótico, onde os presentes oraram e cantaram o hino nacional. Entre os presentes, muitos moradores de outras cidades, como Itajobi, Nova Granada, Novo Horizonte e Palmares Paulista. O ex-vereador Cidimar Porto também marcou presença e embarcou para Sampa.

VERMELHO NÃO!

Ao discursar antes da viagem, João César Moraes lembrou que os nomes das cidades seriam “levados” até São Paulo, através de faixas. Solicitou a faixa de Catanduva e foram pegar no ônibus. Quando trouxeram, a surpresa foi geral: ao confeccionar a faixa, o nome de Catanduva foi colocado em letras vermelhas. A cor estava proibidíssima no evento da Paulista. No microfone o desapontamento de Moraes foi verbalizado: “eu não acredito que erraram...”

CARREATA

Na terça-feira de manhã, o outro grupo, do empresário Ricardo Rebelato, realizou uma carreata saindo do Agudo Romão, próximo ao Aeroclube até a praça da Matriz, onde houve uma concentração de centenas de pessoas. Rebelato esteve presente no evento e só depois se dirigiu à capital paulista. O vereador Patrick Camelo Rolim Cesar (Republicanos) também marcou presença no caminhão de som.

DIVIDIDOS

Com o movimento do 7 de setembro, em Catanduva ficou evidente a divisão dos apoiadores de Bolsonaro em dois grupos. De um lado, Ricardo Rebelato, que já foi candidato a prefeito e tem pretensões políticas para disputa do próximo ano para uma vaga no Congresso Federal. De outro lado, João César Moraes, que ano passado chegou a ser entrevistado como pré-candidato a prefeito, mas acabou saindo da disputa. O progressista Rebelato realiza lives com políticos ligados ao grupo do presidente, enquanto Moraes participa do processo de montagem do partido Aliança para o Brasil e mantém contato principalmente com a deputada Carla Zambelli.

NÚMEROS QUESTIONADOS

O ato a favor ao presidente Jair Bolsonaro reuniu, na última terça-feira, 125 mil pessoas na avenida Paulista, segundo cálculo da Secretaria da Segurança de São Paulo. O número está bem abaixo do estimado pelos próprios organizadores da manifestação que, em reunião com a Polícia Militar de São Paulo no dia 31 de agosto, afirmaram esperar entre 2 milhões e 3 milhões de participantes no protesto. A organização discorda do número apresentado, principalmente pelo cálculo ter sido realizado por uma secretaria do Governo Doria.

SEM MÁSCARA

O governo de São Paulo multou o presidente Jair Bolsonaro e outras 13 autoridades e personalidades que participaram de manifestação na avenida Paulista Eles foram autuados por contrariarem lei que determina o uso de máscaras para evitar a disseminação da Covid-19 durante a pandemia no Brasil. A administração estadual calcula que a multa pode chegar a R$ 1,5 milhão. Esta é a sétima autuação de Bolsonaro por descumprir medidas sanitárias de contenção da pandemia em São Paulo. Também foram autuados o empresário Luciano Hang, o cantor Netinho, o pastor Silas Malafaia e o ex-senador Magno Malta. Tá ok?!?!?

A FRASE

”A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos.” (Autoria desconhecida)