PENEIRA FINA – 04/12/2021

Coluna – SÁBADO

PENEIRA FINA – 04/12/2021

HUMORISTA FICA SEM TEATRO

Ontem à tarde, a Secretaria de Cultura de Catanduva notificou a Aviva Produções, de Marília/SP, através de seu produtor Sueber de Mello dos Santos, responsável pela vinda do show do humorista Léo Lins para a cidade, que devido à falta de documentação a cessão do Teatro Municipal Aniz Pachá para o espetáculo que ocorreria amanhã não seria concedida. Com isso, o 'stand-up' não será realizado no TM.

REGULAMENTO

Segundo a Peneira Fina apurou, a decisão foi baseada no Decreto nº 7.637, de 3 de junho de 2019, que trata sobre o regulamento do Teatro Municipal. Quem assinou o decreto foi a prefeita Marta Maria do Espírito Santo Lopes e na época, a secretária de Cultura era Cris Anovazzi. A decisão atual foi baseada no parágrafo 1º do Artigo 6º, onde diz que “A reserva só será efetivada após deferimento do Secretário Municipal de Cultura no processo, acompanhado do comprovante de recolhimento da taxa de utilização e assinatura do Termo de Ciência e Responsabilidade a ser preenchido junto ao administrativo do Teatro Municipal.” A alegação é que não foi entregue o termo com o comprovante de recolhimento da taxa para efetivação da reserva.

LÉO LINS RESPONDE

O humorista Léo Lins usou as redes sociais para responder sobre os fatos, dizendo “mais uma briga com Prefeitura. Aí Catanduva tem mais uma luta domingo, mais uma briga. A Prefeitura cancelou o meu show, mas não tem problema, já estou acostumado. No Guarujá foram quatro cancelamentos. Não vou arregar não. Quase cinco horas da tarde inventaram que faltava um documento X. Devem ter inventado algum imposto”, disse Lins.

REVIRAR OS PODRES

Continuando em seus 'stories', Lins até fez um elogio para o Executivo: “eu confesso que foi uma boa jogada hein Prefeitura, esperar às cinco da tarde de uma sexta-feira e agora não atendem mais e nem respondem mais as mensagens.”. O humorista mandou um recado: “o show vai acontecer e espero que esteja tudo bem na cidade, pois agora vou revirar todos os podres para fazer piada.”

REPERCUSSÃO

Leitores entraram em contato com a coluna para comentar as notas de ontem sobre o humorista. O caso ganhou repercussão e muitos criticando “as piadas de gosto duvidoso”. Mas outras pessoas estavam elogiando Léo Lins, dizendo gostar do tipo do humor agressivo e chegando a fazer uma comparação: “muita gente gostava do programa Pânico e eles também humilhavam diversas pessoas.”

CENSURA?

Ao ver o decreto nº 7.637, observamos que existe um artigo que, sim, pode ser considerado “censura”. O art. 17 diz que “todo material de divulgação de espetáculos ou eventos deverá ser apreciado e autorizado pela Secretaria Municipal de Cultura”. Epa, epa, opa... Como assim? A criação do material de divulgação é de responsabilidade do promotor do evento. Esse artigo demonstra claramente uma censura prévia à criação artística da divulgação. Tem que ser revisto!

VEREADOR CONTRA

O vereador Maurício Gouvea (PSDB) também resolveu dar sua opinião sobre a repercussão do vídeo e do show do humorista Léo Lins. Em Live realizada em sua página, nas redes sociais, com duração de pouco mais de 7 minutos, Maurício disse estar indignado e mandou um recado ao humorista “que está satirizando o povo catanduvense e tirando uma onda com a cidade. Ele é um fanfarrão, um otário, sem graça nenhuma. Vou fazer uma moção de repúdio e acredito que os 13 vereadores irão fazer. (...) Eu e muitos catanduvenses vamos torcer e trabalhar para que o show desse cidadão, desse crápula, desse verme, não aconteça em nossa cidade. (...) Você é um otário Léo, seu babaca e quero encontrar você no mano a mano.”

MORO VAI SUBIR?

Os presidentes de alguns dos principais partidos do país atualizaram os diagnósticos eleitorais nas últimas semanas e avaliam que Sergio Moro (Podemos) tem grandes chances de ultrapassar Jair Bolsonaro (PL) nas pesquisas de intenção de voto dos próximos meses. Os contrastes entre os movimentos dos dois têm chamado a atenção das lideranças: o ex-juiz cresce ao participar de eventos públicos e firmar-se como candidato, enquanto o presidente derrete em meio à crise econômica e social.

CARNAVAL NA INCERTEZA

O Comitê Científico do Consórcio Nordeste produziu documento em que analisa a situação da pandemia para recomendar a não realização do Carnaval e das festas de fim de ano nos estados da região. Os integrantes do grupo citam no documento as incertezas futuras em todo o mundo causadas pela desigualdade na distribuição de vacina, pelo negacionismo contra a imunização em países ricos e o surgimento de novas cepas como a ômicron. Além do cancelamento das festas, o comitê também sugere a intensificação da vacinação, com aplicação nas escolas e uso de "carros de vacinas" para alcançar maior quantidade de pessoas.

A FRASE

“O mundo te respeitará na exata proporção que você não tiver medo dele. Por que tudo é só uma relação de forças....” (Clóvis de Barros Filho, escritor, professor e advogado)