Padre Osvaldo quer empréstimo de R$ 9 milhões para perfurar novo poço profundo

Objetivo é fazer construção no Alto da Boa Vista em substituição a poço inoperante

Padre Osvaldo quer empréstimo de R$ 9 milhões para perfurar novo poço profundo

Foto: SAEC CATANDUVA - Laudo indica que captação do Boa Vista tem situação irreversível

Guilherme Gandini
Editor-Chefe
Publicado em 14/12/2021

O prefeito Padre Osvaldo (PSDB) apresentou projeto de lei à Câmara, com pedido de votação em regime de urgência, que autoriza a contratação de operação de crédito de R$ 9 milhões junto ao Banco do Brasil para perfurar um novo poço profundo no Aquífero Guarani.

De acordo com o projeto, o empréstimo seria firmado pelo Programa BB Financiamento do Setor Público, com a garantia da União. Para pagamento do principal, juros, tarifas e demais encargos, seria autorizado débito automático diretamente na conta corrente da Prefeitura.

O novo poço profundo seria construído no bairro Alto da Boa Vista I, na mesma área onde existe outro poço. Pela previsão, a nova estrutura terá 760 metros de profundidade e capacidade para injetar 300m³ de água por hora nas redes, abastecendo 20 mil pessoas ao dia.

A água explorada pelo abastecimento público em Catanduva é proveniente, exclusivamente, de dois aquíferos subterrâneos, Bauru e Guarani, possuindo, atualmente, 68 poços em atividade no Aquífero Bauru, cujas vazões médias giram em torno de 20m³/h cada. Já no Aquífero Guarani, são cinco poços profundos: São Vicente, Birigui, Boa Vista, Eldorado e Barro Preto, com capacidade em torno de 235m³/h cada.

Entretanto, segundo expõe a Superintendência de Água e Esgoto de Catanduva (Saec), dos cinco poços, tem-se, na atualidade, apenas três em pleno funcionamento. Dois estão inoperantes devido a problemas construtivos: o Barro Preto, que passa por adequações para iniciar a operação, e o Boa Vista, que vem apresentando acentuada diminuição na vazão explorada.

Conforme estudo técnico preparado pela autarquia em abril de 2020, os dados mostraram que a Unidade de Captação Boa Vista bombeou 272 m³/h em 2014, vindo a diminuir sua produção nos anos seguintes, chegando a 114 m³/h no final de 2018. Outro laudo, da empresa Água & Solo, concluiu que o sistema do Boa Vista é irrecuperável – o que motivou a construção de um novo poço para substituí-lo.

A nova unidade, a ser perfurada na mesma área, possibilitará o aproveitamento da estrutura existente, tais como as redes adutoras de interligação com outros sistemas de abastecimento, instalações elétricas, sistema de automação de controle e monitoramento remoto, dois reservatórios de água com 1 mil m³ cada e um elevado de 200m³, totalizando 2,2 mil m³ de reserva.

O valor médio estimado pela Saec para a perfuração é de R$ 6,7 milhões. O gradil e tubos em aço carbono necessários para a nova unidade foram orçados em R$ 374 mil. Já os cabos elétricos, em R$ 380 mil, e o serviço de tamponamento do poço deve ficar em R$ 128,8 mil, alcançando R$ 7,6 milhões. O valor seria somado a cerca de R$ 1 milhão, que seriam utilizados para a aquisição de três veículos utilitários, uma retroescavadeira e um caminhão basculante, alcançando R$ 8,7 milhões.

O financiamento terá prazo total de 84 meses, com carência de 12 meses, sendo a parcela inicial no valor de R$ 184,2 mil, com redução gradual até a última, que seria de R$ 122,1 mil.