Padre Osvaldo cumpre rotina semanal em SP e fala em novo acesso ao Theodoro Rosa Filho

Prefeito falou sobre unidade de saúde com projeto contratado sem licitação

Padre Osvaldo cumpre rotina semanal em SP e fala em novo acesso ao Theodoro Rosa Filho

Foto: DIVULGAÇÃO - Osvaldo esteve no Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e propôs a intervenção na rodovia Comendador Pedro Monteleone, a Rodovia da Laranja

Guilherme Gandini
Editor-Chefe
Publicado em 15/10/2021

O prefeito Padre Osvaldo (PSDB) não alterou sua rotina quase semanal de visitas à capital paulista, apesar da previsão de visita do governador João Doria (PSDB) à região. O religioso cumpriu agenda em São Paulo na quarta-feira, dia 13, e afirmou ter apresentado projeto para abrir um novo acesso ao bairro Theodoro Rosa Filho – que possui apenas uma entrada.

De acordo com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura, Osvaldo esteve no Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e propôs a intervenção na rodovia Comendador Pedro Monteleone, a Rodovia da Laranja. “O projeto feito por equipe técnica da Prefeitura atende diretamente reivindicação do vereador Ivan Bernardi, em favor da mobilidade no bairro.”

"Fomos bem atendidos pelo diretor do DER, Daniel, que irá encaminhar a demanda aos departamentos. Estamos otimistas que a solicitação será atendida", ressaltou Padre Osvaldo.

Ainda na capital, o prefeito esteve na Secretaria de Agricultura e Abastecimento. “Formalizei dois pedidos para que Catanduva seja incluída nos programas Melhor Caminho e Agro SP Mais Seguro, visando benefícios à cidade. Dentre eles, uma viatura para GCM utilizar em fiscalização, levando em conta que a nossa cidade já está inserida no programa Rotas Rurais.”

INSTITUTO DE SAÚDE

Em postagem nas redes sociais, Padre Osvaldo mencionou publicamente pela primeira vez a implantação do Instituto Municipal de Especialidades de Saúde de Catanduva – Imesc, tema de reportagem de O Regional em 23 de setembro. Disse se tratar de uma ação do Governo do Estado em benefício de Catanduva e citou Marco Vinholi como “canal de representação”.

O projeto arquitetônico para construção do Imesc foi contratado pela Prefeitura no valor de R$ 98 mil sem licitação. A empresa escolhida foi a MN Lima Arquitetura e Construção, de Campinas. Questionada na ocasião, a Secretaria de Estado da Saúde garantiu que a informação sobre investimento estadual em um centro de especialidades municipal não procedia.