Pão caseiro com amor e muitas histórias

Casal faz massa artesanal com receita de família e vende no semáforo em Catanduva

Pão caseiro com amor e muitas histórias

Fotos: Matheus Fonseca - Casal vende 40 pães por dia com sorriso no rosto e sob o sol forte

Guilherme Gandini
Editor-Chefe
Publicado em 26/12/2021

Quando o relógio bate 1 hora da madrugada, o casal Jordrans de Mattos, 65, e Maria José da Silva Mattos, 59, começa a preparar seus famosos pães caseiros, seguindo a receita de família. O trabalho é completamente artesanal e a massa é sovada à mão. A partir das 6 horas, os pães já estão prontos para serem embalados.

“Amasso na mão mesmo. Por isso acho que nosso pão é mais saboroso”, brinca Jordrans, detalhando o passo a passo. “Depois que o pão cresce e descansa, passamos a massa no cilindro, deixamos descansar novamente, assamos e, finalmente, embalamos”.

De casa, eles seguem para o semáforo da rotatória do Corpo dos Bombeiros, na avenida Eng. José Nelson Machado. No local, garantem o sustento da família com a venda dos pães, além de roscas de doce de leite, leite condensado e goiabada. Aline, uma das filhas do casal, também vende os produtos no semáforo da rua Minas Gerais com a 24 de Fevereiro.

A dificuldade enfrentada nas ruas, sob o forte sol, não desanima o casal. A situação também não é novidade na vida de Jordrans, que foi menino de rua entre os 6 e 11 anos. Mais tarde, divorciado e com três filhos, casou-se com Maria José, que tinha quatro filhos pequenos. Após alguns anos, eles ainda adotaram uma menina.

A trajetória de superação de Jordrans e Maria José tem episódios incríveis. Em 2002, quando moravam em Monte Azul, ambos ficaram desempregados. O dinheiro foi acabando até Maria José ficar com apenas R$ 5. “Em uma noite, tive um sonho diferente: estava trabalhando com meu marido, de branco, em uma cozinha. Decidi então vender pão caseiro”.

E foi com aqueles R$ 5 que eles compraram um pouco de farinha e fermento, e pediram um botijão de gás emprestado à vizinha. Ela conta que fez 15 bisnagas de pão caseiro, saiu para vender de porta em porta, a R$ 1 cada. Com os R$ 15, iniciou a nova fase da vida.

Hoje, já são quase 20 anos trabalhando noite e dia com a produção de pães caseiros. Eles passaram por Catanduva, anos atrás, e depois se fixaram em Silvânia, bairro rural da cidade de Matão. Lá montaram um quiosque amarelo com duas mesas brancas, à beira da estrada, para vender seus pães. Também comercializavam o alimento nas ruas de Matão.

De volta a Catanduva, lutam por dias melhores, prosseguindo com a arte que melhor sabem fazer. Vendem 40 pães por dia ao preço de R$ 10, sempre das 14h às 17h30. Buscam ampliar a freguesia, mantendo sempre o sorriso no rosto e o orgulho da história que escrevem dia após dia. Quem quiser fazer encomendas, pode ligar (17) 99637-4497.