Obras no Centro vão custar R$ 3 milhões e consumir quase toda a verba do FMDU

Conselheiros autorizaram liberação de R$ 2,5 milhões, restando R$ 220 mil em saldo

Obras no Centro vão custar R$ 3 milhões e consumir quase toda a verba do FMDU

Foto: O REGIONAL - Obras na Praça da República e Rua Brasil superam R$ 3 mi

Guilherme Gandini
Editor-Chefe
Publicado em 16/12/2021

O projeto de revitalização da rua Brasil e da Praça da República anunciado pela Prefeitura de Catanduva vai consumir quase todo o saldo do Fundo Municipal de Desenvolvimento Urbano. A liberação será de mais de R$ 2,5 milhões. A utilização dos recursos foi aprovada pelo Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano (CMDU).

Conforme ata da reunião realizada pelo conselho em 24 de novembro, a recuperação do trecho da rua Brasil entre a rua Cuiabá e avenida São Domingos será custeado por verba de emenda parlamentar do deputado federal Enrico Miasi (PV). O orçamento é de R$ 577,2 mil e o recurso obtido de R$ 481,1 mil, que será completado com R$ 96,1 mil em contrapartida do município.

Já os recursos do Fundo Municipal serão utilizados para a revitalização da Praça da República e das luminárias da rua Brasil, no total de R$ 1 milhão, obras de acessibilidade na rua Maranhão com a rua Alagoas, calculadas em R$ 62,6 mil, e para aquisição de pisos para a rua Brasil e a Praça da República, cujo orçamento é de R$ 1,4 milhão.

“O Presidente colocou em votação a utilização dos Recursos do Fundo Municipal de Desenvolvimento para a Revitalização. A utilização do recurso foi aprovada por unanimidade. Com o investimento na revitalização quantificado em R$ 2.538.469,09, o saldo da conta do (Banco do) Brasil que está em R$ 2.758.905,67, passará a ter R$ 220.436,58”, informa a ata.

ELEITOS

A aprovação do uso dos recursos do Fundo de Desenvolvimento para a revitalização da área central foi concretizada na 1ª reunião ordinária do CMDU no ano de 2021, em 24 de novembro. No encontro, o secretário de Planejamento, Gilberto Augusto Motta, foi eleito presidente do conselho, tendo como secretária a arquiteta Maria Cristina Pinheiro Machado Sanches.