Grupo Versus repudia críticas de vereadores e sugere análise pela Comissão de Ética

Discursos foram classificados como lamentáveis em nota divulgada à imprensa

Grupo Versus repudia críticas de vereadores e sugere análise pela Comissão de Ética

Foto: CÂMARA DE CATANDUVA - Grupo declarou apoio à redução orçamentária proposta por Gleison Begalli

Guilherme Gandini
Editor-Chefe
Publicado em 11/11/2021

O manifesto de apoio à redução do orçamento da Câmara divulgado pelo grupo Versus e noticiado pelo Jornal O Regional no domingo, 7, foi alvo de críticas pelos vereadores na sessão de terça-feira, dia 9. Os parlamentares reclamam da conduta política do grupo formado por empresários da cidade que, segundo eles, seria ligado à administração municipal anterior.

Questionado por O Regional, o grupo Versus esclareceu que seus integrantes são empresários catanduvenses que participam de instituições civis devidamente constituídas e que prestam “relevantes serviços à comunidade”, citando entre elas a Maçonaria, ACE, Clube de Tênis e Fundação Padre Albino.

“Incomodados com a tímida participação popular, nosso grupo resolveu acompanhar de perto e com habitualidade os fatos relevantes para Catanduva e Região, manifestando-se sempre que necessário. O posicionamento favorável sobre a manutenção da redução do orçamento da Câmara em aproximadamente R$ 4 milhões atende perfeitamente aos anseios e objetivos do grupo Versus, que prima pelo diálogo civilizado e construtivo, pilares da democracia”, frisou em nota.

A assessoria de imprensa do grupo classificou como “lamentáveis” os discursos dos vereadores na sessão da Câmara, “proferindo acusações infundadas, agressões verbais, pessoais e íntimas a membros do grupo Versus e a outros cidadãos catanduvenses”.

“O discurso desses edis mostrou um total despreparo e desequilíbrio, totalmente incompatíveis com o que a função de vereador determina, não obstante também exalarem completo desconhecimento sobre os membros e as diretrizes do Versus”, completou.

Além de repudiar as falas dos parlamentares, citando de forma direta os vereadores Marquinhos Ferreira (PT) e Mauricio Gouvea (PSDB), o Versus afirmou que a “a postura inaceitável de determinados vereadores” atenta contra o decoro de todo o Legislativo e defendeu que isso seja objetivo de análise pela Comissão de Ética e Decoro Parlamentar e pela Mesa Diretora.

“Não nos intimidaremos nem nos distanciaremos de nossos propósitos que seguem firmes, fortalecidos pela repercussão que estão tendo nossas manifestações”, concluiu a nota.