Fora do Top 100, Catanduva tem destaque na área de saúde entre as cidades inteligentes

Estudo é composto por 11 eixos temáticos e 75 indicadores

Fora do Top 100, Catanduva tem destaque na área de saúde entre as cidades inteligentes

Foto: ARQUIVO - Cidade não conseguiu somar pontos para ficar entre 100 melhores

Guilherme Gandini
Editor-Chefe

Catanduva alcançou a 27ª posição na área da saúde no Ranking Connected Smart Cities, apesar de não figurar entre as 100 melhores na categoria geral. Feito pela Urban Systems em parceria com a Necta, o estudo considera diversos aspectos para mapear cidades com maior potencial de desenvolvimento no Brasil – as chamadas cidades inteligentes.

Com nota 29,087, Catanduva conseguiu a 84ª posição na Região Sudeste e 95ª entre as cidades de 100 a 150 mil habitantes. Também apareceu na 86ª colocação na categoria educação e 87ª no quesito economia. Nos outros indicadores, a cidade ficou fora do ranqueamento: Mobilidade, Meio Ambiente, Governança, Inovação, Empreendedorismo, Urbanismo e Segurança.

Os números que levaram ao bom posicionamento na área de saúde são o de 6,02 leitos por mil habitantes, 579,61 médicos por 100 mil habitantes, cobertura de 65,1% da população por equipes de Saúde de Família, índices de 98,6% de coleta de esgoto e 99,2% de coleta de resíduos e, por fim, a taxa de mortalidade infantil com um óbito a cada mil nascidos vivos.

O levantamento também revela que, em Catanduva, as despesas per capita na área de saúde pública são de R$ 725,37 por habitante. Por outro lado, o município não oferece agendamento online de consultas e não teria ciclovias disponíveis à população – apesar das existentes, revelando possível falha na alimentação dos dados.

Para o desenvolvimento do ranking, a Urban Systems utiliza metodologia própria de ponderação de indicadores, denominada de Índice de Qualidade Mercadológica (IQM). O cálculo permite que se parta de valores específicos de cada informação que variam em natureza, complexidade e unidades de medida, para se chegar a valores ponderados.

O estudo é composto por 11 eixos temáticos e 75 indicadores que se conectam entre si e retratam inteligência, conexão e sustentabilidade, considerando o “Conceito de Conectividade” como a relação existente entre os diversos setores analisados.

Também foram mapeadas as principais publicações internacionais e nacionais sobre o tema de cidades inteligentes, cidades conectadas, cidades sustentáveis, cidades humanas e demais artigos sobre o assunto. O estudo considera municípios com mais de 50 mil habitantes de acordo com estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

São Paulo lidera o ranking geral, com nota 37,584, seguida por Florianópolis-SC e Curitiba-PR. Vitória-ES foi a mais bem colocada entre os municípios de 100 mil a 500 mil, seguida por São Caetano e Barueri. Já no grupo de 50 mil a 100 mil habitantes, a liderança ficou com Jaguariúna-SP.

COMPARATIVO

No Ranking Connected Smart Cities de 2020, Catanduva também não conseguiu aparecer na lista das 100 primeiras. No indicador de saúde, ficou na 48ª posição, tendo avançado para 27ª em 2021. Em educação, caiu de 42º para 86º lugar e, em economia, de 51º para 87º. A cidade aparecia na 55ª colocação em meio ambiente, tendo ficado fora da relação este ano.