Economistas projetam Selic entre 8,25% e 9% até final de 2021

Num pior cenário de inflação e instabilidade política, taxa pode passar de 11%

Economistas projetam Selic entre 8,25% e 9% até final de 2021

Foto: DIVULGAÇÃO - Uma alta ainda maior também não é descartada entre especialistas

Da Reportagem Local
Publicado em 27/10/2021

Hoje, 27 de outubro, o Comitê de Política Monetária (Copom) realiza a penúltima reunião anual para definir a Selic, taxa básica de juros, que vem aumentando ao decorrer dos últimos meses. A expectativa é de mais uma elevação na taxa, tendo em vista a instabilidade no cenário econômico atual. No último boletim Focus, divulgado pelo Banco Central, a previsão da Selic é de 8,75%.

Entretanto, uma alta ainda maior também não é descartada entre especialistas. Para Ulisses Ruiz de Gamboa, professor de economia e pesquisador do Centro Mackenzie de Liberdade Econômica (CMLE), o ano deve terminar com a taxa entre 9% e 9,25%, o que significa uma elevação de até dois pontos percentuais comparados a taxa atual.

Isto se deve a instabilidade política e, no âmbito fiscal, por conta do furo do teto de gastos, proposto pelo Governo Federal para o lançamento do programa Auxílio Brasil em substituição ao Bolsa Família. "Essa instabilidade está provocando uma disparada do dólar, está acelerando a inflação e essa aceleração vai ser combatida pelo Banco Central com o aumento da taxa básica", explica o economista.

Ele acrescenta ainda que o primeiro trimestre de 2022 deve fechar com a Selic ainda mais alta, chegando a 11,25%, causada pelas incertezas políticas intensificadas no ano de eleição, impactando o dólar e a inflação.

Já o professor de economia internacional e negócios internacionais do Centro de Ciências Sociais e Aplicadas (CCSA) da UPM, Marcos Antonio de Andrade, projeta a taxa para 8,25% ao fim deste ano. Para 2022, ele analisa projeções em torno de 8,50% numa piora do cenário político. "